Menu
Busca Sáb, 24 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
Agronegócio

Paraná reduz previsão para safra de soja por conta da seca

Colheita deve alcançar 16,8 milhões de toneladas, queda de 12% em relação a 2018. Estado pode poder posto de 2º maior produtor do grão para o Rio Grande do Sul.

25 janeiro 2019 - 07h30

A safra de soja 2018/19 no Paraná, que já está com 15% da área colhida, deverá alcançar 16,8 milhões de toneladas, abaixo dos 19,12 milhões previstos em dezembro e 12% aquém do registrado em 2017/18, previu  o Departamento de Economia Rural (Deral), órgão do governo do Estado.

O corte ocorre após as lavouras terem sido afetadas pelo tempo quente e seco desde dezembro. Antes das condições climáticas adversas, a expectativa era de que a produção paranaense crescesse 2% na comparação anual, para 19,6 milhões de toneladas.

Tradicionalmente o segundo produtor da oleaginosa do Brasil, o Estado foi um dos mais impactados pelo tempo ruim nesta safra, assim como Mato Grosso do Sul. Com a produção estimada pelo Deral, é provável que o Paraná perca sua posição no ranking para o Rio Grande do Sul, cuja safra também está sendo reduzida por conta do clima, mas por chuvas excessivas e não pela estiagem.

O clima seco e quente tem afetado a produção também em outros regiões, como Mato Grosso e Goiás, além do Nordeste, reduzindo o potencial de safra do Brasil, maior exportador global, segundo especialistas.

Conforme o Deral, 7% das lavouras estavam em condição ruim, 23% em média e 70% em boa. A situação é pior na comparação com o relatório do mês anterior, quando as taxas eram 3,17 e 80%, respectivamente.

Aumento na safra de milho
A previsão de primeira safra de milho 2018/19 do Paraná praticamente não foi alterada, apesar da seca.

O Deral estimou a produção em 3,1 milhões de toneladas, ante 3,2 milhões na estimativa anterior. Ainda assim, a produção crescerá 7% ante 2017/18, uma vez que a área plantada cresceu o mesmo percentual.

Já a segunda safra de milho 2018/19 do Paraná, que está sendo plantada --com 17% da área já semeada--, foi estimada em 12,68 milhões de toneladas, praticamente estável na comparação com a previsão de dezembro.

A expectativa do Deral é de que a produção de milho segunda safra do Estado cresça quase 40%, após a colheita ter sido atingida no ano passado por problemas climáticos.

Com informações do G1

 

vacina sim

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana
Saúde
Covid-19: Brasil soma 541,2 mil mortes e vai a 19,3 milhões de casos
Violência
Em vídeo exclusivo, DJ Ivis pede perdão a Pamella e a todas mulheres
Tempo
Ela vem: frente fria vai derrubar temperaturas para menos de 3ºC e causar geada em MS, diz previsão