Menu
Busca Sáb, 19 de setembro de 2020
(67) 9.9928-2002
Agepen

Presídios em MS vão receber refeições e hortifrútis por R$ 4,7 milhões

Por Carol Assis
A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) divulgou nesta sexta-feira (13) quatro contratos avaliados em mais de R$ 4,7 milhões para fornecimento de alimentação a presídios do Estado.

Mais de R$ 4,5 milhões do total ficaram com uma só empresa. A Nutri & Saúde assinou contratos para fornecimento de diárias (café, almoço e janta) para os sistemas prisionais de Corumbá (R$ 3,5 milhões) e Paranaíba (R$ 993 mil).

Com valor menores foram assinados outros dois contratos. Um deles é destinado ao fornecimento de hortifrutigranjeiros aos estabelecimentos penais de autogestão de Paranaíba, avaliado em R$ 134,7 mil e assinado pela empresa Whitsell & Fabricio Ltda.

O último contrato foi orçado em R$ 91 mil, e é voltado também ao fornecimento de hortifrutigranjeiros aos estabelecimentos penais de Aquidauana. A empresa contratada foi a Frutale Comercio de Alimentos.

Todas as contratações foram publicadas pela Agepen no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (13), e assinadas pelo diretor-presidente da Agência, Aud de Oliveira Chaves.
RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 135 mil mortes por covid-19
Meio Ambiente
Nuvem de fumaça provocada por queimadas no Pantanal chega ao céu de São Paulo
Brasil
Fumaça do Pantanal faz avião de Bolsonaro arremeter em MT
Três Lagoas
Fogo destrói vegetação, floresta de eucalipto e interdita rodovia em MS
Brasil
Tite convoca a Seleção Brasileira para a estreia nas Eliminatórias
Geral
Do outro lado do balcão De ex-juiz Federal a ex-ministro da Justiça, agora Sergio Moro é o mais "jovem" advogado do Brasil.
Saúde
Uma de 7 infecções de Covid-19 relatadas ocorre em profissionais de saúde, diz OMS
Brasíl
Marco Aurélio suspende inquérito que apura suposta interferência na PF
Brasíl
829 mortos por Covid 19 e 36.330 novos casos de contaminados
STF
COVID NOS PRESÍDIOS Fux renova Recomendação 62 por 6 meses e restringe alcance