Menu
Busca Qua, 15 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Agepen

Presídios em MS vão receber refeições e hortifrútis por R$ 4,7 milhões

Por Carol Assis
A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) divulgou nesta sexta-feira (13) quatro contratos avaliados em mais de R$ 4,7 milhões para fornecimento de alimentação a presídios do Estado.

Mais de R$ 4,5 milhões do total ficaram com uma só empresa. A Nutri & Saúde assinou contratos para fornecimento de diárias (café, almoço e janta) para os sistemas prisionais de Corumbá (R$ 3,5 milhões) e Paranaíba (R$ 993 mil).

Com valor menores foram assinados outros dois contratos. Um deles é destinado ao fornecimento de hortifrutigranjeiros aos estabelecimentos penais de autogestão de Paranaíba, avaliado em R$ 134,7 mil e assinado pela empresa Whitsell & Fabricio Ltda.

O último contrato foi orçado em R$ 91 mil, e é voltado também ao fornecimento de hortifrutigranjeiros aos estabelecimentos penais de Aquidauana. A empresa contratada foi a Frutale Comercio de Alimentos.

Todas as contratações foram publicadas pela Agepen no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (13), e assinadas pelo diretor-presidente da Agência, Aud de Oliveira Chaves.
RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Causa repugnância a irresponsável conversinha desse prefeito sobre medicamento reprovados pela medicina.
Brasíl
Justiça determina quebra de sigilo bancário da Backer
Política
Governo vai enviar PL com penas mais rígidas para violência sexual
Saúde
Covid-19: Brasil chega a 72,8 mil óbitos e 1,88 milhão de casos
Brasília
Defesa aciona PGR contra Gilmar Mendes por ministro ter associado Exército a genocídio
Saúde
Crise do coronavírus pode ficar "pior e pior e pior", alerta OMS Reuters Staff
Brasíl e Mundo
Estudante de veterinária levou uma picada da terrível naja tinha outras cobras exóticas
Brasíl
Mulher de Queiroz se entrega e cumprirá prisão domiciliar com marido no Rio
Educação
Bolsonaro nomeia pastor Milton Ribeiro como ministro da Educação
Esporte
Natália Gaudio defende maior longevidade para atletas brasileiras