Menu
Busca Sáb, 19 de setembro de 2020
(67) 9.9928-2002
Banco Nacional

Sistema da Justiça expõe vítimas de estupros, 2 delas são de MS

26 abril 2018 - 09h26Por Redação Notícias VIP
Mato Grosso do Sul aparece na lista de Estados que expõem vítimas de estupros no BNMP (Banco Nacional de Mandados de Prisão), que reúne todos as ordens de prisão em aberto no Brasil. Conforme a Folha de São Paulo, que fez levantamento em 576 mil mandados, foram localizados dois casos em Mato Grosso do Sul.

Sobre o Estado, a reportagem não especifica quais dados dos processos sigilosos foram divulgados na internet.

A maior quantidade em que vítimas de estupros são expostas é no Maranhão (21), seguido por Espírito Santo (16) e Rio Grande do Sul (12). Segundo o jornal, nos mandados do RS aparece nome completo e descrição minuciosa de estupro de uma criança de cinco anos.

Em resolução de 2016, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) determina que os tribunais devem restringir a identificação de vítimas apenas às iniciais de nome e sobrenome.

Mas, a Folha teve livre acesso a mandados de prisão onde aparecem, por exemplo, os nomes completos e descrição minuciosa do estupro de uma criança de 5 anos, cometido pelo padrasto. Mãe e filho, ambos vítimas, são identificados.
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 135 mil mortes por covid-19
Meio Ambiente
Nuvem de fumaça provocada por queimadas no Pantanal chega ao céu de São Paulo
Brasil
Fumaça do Pantanal faz avião de Bolsonaro arremeter em MT
Três Lagoas
Fogo destrói vegetação, floresta de eucalipto e interdita rodovia em MS
Brasil
Tite convoca a Seleção Brasileira para a estreia nas Eliminatórias
Geral
Do outro lado do balcão De ex-juiz Federal a ex-ministro da Justiça, agora Sergio Moro é o mais "jovem" advogado do Brasil.
Saúde
Uma de 7 infecções de Covid-19 relatadas ocorre em profissionais de saúde, diz OMS
Brasíl
Marco Aurélio suspende inquérito que apura suposta interferência na PF
Brasíl
829 mortos por Covid 19 e 36.330 novos casos de contaminados
STF
COVID NOS PRESÍDIOS Fux renova Recomendação 62 por 6 meses e restringe alcance