Menu
Busca Ter, 20 de outubro de 2020
(67) 9.9928-2002
Saúde

SUS recebeu mais de R$ 585 milhões da ANS em 2017

11 abril 2018 - 17h01Por Redação Notícias VIP
O Sistema Único de Saúde (SUS) recebeu R$ 585,41 milhões da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em 2017, de acordo com a quinta edição do Boletim Informativo da instituição. Segundo a ANS, agência reguladora dos planos de saúde, este é o maior valor já repassado anualmente pelo órgão desde a sua criação, em 2000, e representa um aumento de 85% em comparação ao que foi arrecadado em 2016. O boletim mostra os principais dados sobre o ressarcimento obrigatório feito pelas operadoras de planos ao SUS.

Segundo a ANS, no ano passado, também houve aumento na quantidade de procedimentos cobrados pelo órgão regulador. O valor cobrado das operadoras no ano foi de R$ 737,43 milhões, referente a 532.509 atendimentos de beneficiários na rede pública de saúde.

Pelos cálculos da ANS, desde a sua criação, foram cobrados R$ 3,28 bilhões das operadoras de planos de saúde, valor que se refere a cerca de 2,1 milhões de atendimentos a beneficiários no sistema público de saúde. Do total, R$ 2,06 bilhões, ficaram com o Fundo Nacional de Saúde (FNS), equivalente a 64% do que foi cobrado das operadoras.

Ainda de acordo com a agência, R$ 219,41 milhões estão com a cobrança suspensa por causa de decisões judiciais e R$ 647,25 milhões foram inscritos em dívida ativa. Em valores atualizados, o total inscrito em dívida ativa alcançou R$ 1,2 bilhão.

Ressarcimento

O Boletim Informativo da ANS indica os principais números sobre ressarcimento ao SUS, como a quantidade de procedimentos realizados por beneficiários na rede pública de saúde, os procedimentos mais onerosos e a distribuição regional desses dados.

Em fevereiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou a constitucionalidade do ressarcimento ao SUS.

Para o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, a decisão da Suprema Corte permitirá a liberação dos valores que até agora estavam em juízo e deve incentivar a regularização do pagamento dos débitos, o que deve provocar um aumento nas arrecadações nos próximos anos. Segundo ele, a decisão traz segurança jurídica ao setor e contribui para a manutenção do serviço público de saúde.

O não pagamento do ressarcimento comprovadamente devido pela operadora resulta na inscrição em dívida ativa e no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (CADIN), bem como a cobrança judicial. Somente em 2017, foram encaminhados R$ 140,7 milhões para inscrição em dívida ativa.

Os valores referentes a atendimentos de beneficiários pelo SUS são integralmente repassados ao Fundo Nacional de Saúde, gerido pelo Ministério da Saúde.
RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Covid 19 em MS
Chapadão do Sul zerou casos de infectados hospitalizados com o novo Coronavirus
Ivinhema
PRF apreende mais toneladas de maconha em carreta com milho.
Brasil
Lava Jato: Polícia Federal cumpre mandados por fraudes na Petrobras
Campo Grande
A cidade maravilhosa das propagandas eleitorais, contrastando com a realidade da grande maioria da população e bairros.
Brasil e Mundo
União Química deve pedir registro da vacina russa à Anvisa em novembro
Brasil
Covid-19: governo anuncia resultado de ensaio clínico com nitazoxanida
Brasil
Pesquisa mostra aumento da confiança de professores para ensino online
Política
Brasil e EUA concluem acordos para facilitação de investimentos
Brasil
TSE rebate notícias falsas sobre urna de 2018 que voltaram a circular
Brasil
Bolsonaro participa da abertura de fórum econômico com países árabes