Menu
Busca Sex, 27 de novembro de 2020
(67) 9.9928-2002
RURAL

Zoneamento vai mapear 46 municípios de MS e verificar aptidão para grãos, cana, florestas plantadas e frutas

Por Carol Assis
Terceira fase do Zoneamento Agroecológico de Mato Grosso do Sul (ZAE) vai mapear com riqueza de detalhes, na escala de 1:100.00, as áreas de 46 município localizados na bacia do rio Paraná, totalizando 142,5 mil quilômetros quadrados, o equivalente a quase metade do território do estado.

Para a execução desta etapa do estudo foi assinado no início do mês em Campo Grande entre o governo do estado e o Embrapa, um aditivo no convênio de cooperação técnica entre as instituições, que prevê o investimento de aproximadamente R$ 3 milhões no levantamento.

De acordo com a Embrapa, a previsão é que essa fase do ZAE seja concluída até 2021. O levantamento vai verificar a aptidão destes municípios para o cultivo da soja, milho, feijão, cana-de-açúcar, pastagens, eucaliptos, pinus, seringueira, erva-mate, girassol, sorgo, abacaxi, banana, citrus, goiaba, manga, maracujá e melancia.

Segundo o pesquisador da Embrapa Solos (Rio de Janeiro) Silvio Barge Bhering, coordenador dos estudos, neste novo ciclo pretende-se unificar os estudos de solos e de zoneamento; interpretar os requisitos edáfico-climáticos das culturas; analisar a agrometereologia de Mato Grosso do Sul; mapear áreas de uso restrito por condicionantes ambientais; e incorporar estudos de água no solo e terras para Irrigação. O engenheiro agrônomo afirma que o ZAE traz novas abordagens para o estado, com potencial de subsidiar políticas públicas.

Com recursos do Fundo de Desenvolvimento das Culturas do Milho e da Soja de Mato Grosso do Sul (Fundems), gestão da secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), a execução do zoneamento é da Embrapa Solos, com apoio técnico das Unidades Gado de Corte (Campo Grande), Pantanal (Corumbá), Agropecuária Oeste (Dourados) e da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer). Até julho, uma base física das pesquisas será instalada em Campo Grande.

A fase já completa do ZAE, encerrada em 2012, abrange 32 municípios da Bacia do rio Paraguai, na escala 1:100.000, tendo sido produzidos mais de 600 mapas e 3 mil páginas de estudos técnicos.
violência contra a mulher 2

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Covid-19 mata subtenente em MS; 2ª morte do mês na instituição
Covid 19 em MS
Taxa de contágio da Covid 19 volta a subir no MS
Campo Grande
Estado deposita R$ 514 milhões em salários nesta sexta-feira (27)
Brasil e Mundo
Dinamarca quer desenterrar "visons zumbis" de valas coletivas
Judiciário
Bretas condena Cabral a 19 anos de prisão e Barata a 28 anos
Esportes
LNF adia primeiro jogo da semifinal entre Tubarão e Magnus
Ponta Porã
Polícia paraguaia prende dois suspeitos de matança de membros da turma de Fahd Jamil
Polícia
PF investiga suspeitos de propaganda de atos para alteração da ordem
Saúde
Fiocruz: aumento de casos e óbitos de covid-19 deve servir de alerta
Argentina
“Adios Diego”: Maradona é enterrado e mundo chora a perda