Menu
Busca Sex, 30 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
INTERIOR

Marido ateia fogo à esposa exigindo confissão de traição e é preso após tentar invadir hospital em MS

Vítima disse à polícia que ficou por 15 horas sofrendo com a dor decorrente das queimaduras porque o marido a impedia de pedir socorro. Ele foi preso por tortura e tentativa de feminicídio.

14 fevereiro 2019 - 14h50

A Polícia Civil de Água Clara, a 179 km de Campo Grande, prendeu nesta quarta-feira (13) um homem suspeito de espancar a esposa, atear fogo nela e impedi-la de pedir socorro. Segundo a polícia, as agressões aconteceram porque ele exigia que a esposa confessasse uma traição.

A mulher foi hospitalizada no dia 9 de fevereiro. Quando o investigador de polícia interrogou-a, ela disse que queimaduras haviam acontecido em um "acidente doméstico". De acordo com o delegado Felipe Alvarez Madeira, a polícia ouviu o casal em ambientes diferentes e as versões não batiam. Foi então que desconfiaram que a mulher estaria com medo de admitir as agressões do companheiro, e passaram a investigá-lo.

No dia 12 de fevereiro a polícia foi acionada por funcionários do hospital informando que o suspeito estava tentando invadir o local. Uma equipe foi até lá e conversou novamente com a vítima, que confirmou ter sido agredida pelo marido. Ele a espancou com um cabo de vassoura, batendo em suas costas e deixando marcas aparentes, e em seguida, com ela deitada na cama, jogou gasolina no edredom que a cobria e colocou fogo, queimando seus braços e pernas.

"A mulher afirmou à polícia que, após ser queimada, ficou 15 horas agonizando com a dor das queimaduras porque o homem a impedia de pedir socorro. Ela relatou que já havia sido esfaqueada e agredida pelo autor várias vezes", relata o delegado.

Em seguida, o homem foi detido e segundo o delegado, estava alterado: "O suspeito estava embriagado, em estado quase letárgico, mal conseguia falar", afirma. Na delegacia, ele confessou ter agredido e ateado fogo à esposa por ciúmes.

A vítima pediu medida protetiva contra o marido, e a prisão preventiva dele foi decretada pela Justiça nesta quarta (13). Ele vai responder por tortura e tentativa de feminicídio e deve permanecer na delegacia de Água Clara aguardando ser encaminhado a um presídio. Com informações, G1 MS.

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana