Menu
Busca Sex, 23 de outubro de 2020
(67) 9.9928-2002
Pedido

Morador de Água Clara pede cassação de vereador Vicente Amaro

17 maio 2018 - 17h59Por Redação Notícias VIP
Um cidadão de Água Clara, Denirson Queiroz Vida, protocolou nesta quinta-feira (17), uma denúncia por infrações político-administrativas com pedido cassação do mandato do presidente afastado da Câmara Municipal, Vicente Amaro de Souza Neto (PDT). 

A reportagem do site "Notícias Vip" entrou em contato com o morador Denirson Queiroz Vida, que explicou também qual foi a base que usou para o pedido de cassação protocolado na Câmara Municipal.  "Cansei de esperar que a Câmara Municipal aprovasse o pedido para ser protocolado no MP/MS", disse.

Na denúncia, constam relatos de supostas irregularidades que teriam sido praticadas pelo gestor municipal, como a nomeação de uma servidora "fantasma".  "Infelizmente a função dos valores recebidos pela servidora "fantasma" nomeada na Câmara Municipal pelo Vicente de forma indevida saiu do bolso de nós cidadãos que recolhemos nossos impostos e temos o direto de escolher nossos representantes nas esferas Municipais, Estaduais e Federais", justificou. 

O vereador Saylon Cristiano de Moraes (PDT) preferiu não falar sobre o afastamento do vereador Vicente e acredita que a denúncia com o pedido de cassação do vereador possa ser por uma questão pessoal.

Gustavo Guiraldelli (PSDB) vereador de Água Clara, disse para a reportagem do "Notícias Vip" que acredita que esta denúncia é um marco na história de Água Clara, entre um cidadão de bem, contra um político afastado e investigado pela justiça por manter funcionária "fantasma" na Câmara Municipal.  " Sou contra toda essa corrupção e a população não pode continuar pagando por esses abutres, que vem lesando os cofres públicos municipais", explicou.

A equipe de reportagem do "Notícias Vip" tentou contato com outros vereadores do município, mas, até a publicação desta reportagem, não conseguiu falar sobre o assunto.

Caso

Em março, o  MPE-MS (Ministério Público Estadual) denunciou o presidente afastado da Câmara Municipal de Água Clara, distante 193 quilômetros de Campo Grande, Vicente Amaro de Souza Neto (PDT) e a advogada Alessandra Thomé Vanzin pela prática do crime de peculato. 

Segundo o MP/MS, Vicente teria nomeado a advogada Alessandra Thomé Vanzin  para o Cargo em Comissão Assessora Jurídica, com vencimentos de R$ 7.350,00, no dia 2 de janeiro de 2017, entretanto, segundo a acusação, durante todo o tempo em que esteve nomeada, a "servidora" jamais prestou serviços à Câmara.

Na ação, os promotores de Justiça Paulo Henrique Mendonça de Freitas e Felipe Almeida Marques solicitaram que os denunciados fossem condenados ao pagamento de R$ 102,900.00 como forma de ressarcir os prejuízos causados aos cofres públicos, em função dos valores recebidos pela servidora de forma indevida.

Os promotores alegaram que, durante as investigações que precederam a deflagração da "Operação Fantasma", ficou comprovado que ambos praticaram crime de peculato, de forma continuada, durante 14 meses, tempo em que Alessandra esteve nomeada para o cargo em comissão. Ela foi exonerada no último dia 22 de fevereiro de 2018.

A promotoria de Justiça da comarca requisitou todos os projetos de leis e procedimentos licitatórios realizados no decorrer de 2017, mas em nenhum deles foi encontrada a assinatura de Alessandra.

O MP afastou o vereador, pois Vicente estaria, supostamente, produzindo documentos que seriam função da assessoria jurídica a fim de prejudicar as investigações.

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

China
As sombras depois da retumbante recuperação da China
Internacional
França amplia toque de recolher contra covid-19 Dois terços da população foram atingidos pela medida
Brasil
Receita abre hoje consulta a lote residual de restituição do IR
Política
APÓS 33 DIAS EM CELA COM ESGOTO, CRISTIANE BRASIL DIZ ESTAR POBRE E ANUNCIA QUE LUTARÁ PELO DIREITO DAS PRESAS
Brasil
Imagens mostram Néfi Cordeiro em julgamento realizado na última terça-feira (30) pela da 6ª Turma
Geral
Mega-Sena, concurso 2.311: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio acumula em R$ 38 milhões
Saúde Pública
'É simples assim: um manda e o outro obedece', diz Pazuello ao lado de Bolsonaro.
Brasil e Mundo
Recusa de Bolsonaro à vacina chinesa repercute no mundo
Política
Kassio Nunes afirma em sabatina que podem ser feitas correções na Lava Jato
Brasil
Operação Índia cumpre mandados no DF e em cinco estados