Menu
Busca Qui, 23 de maio de 2019
(67) 9.9928-2002
INTERIOR

Nove pessoas acusadas de justiça com as próprias mãos vão a julgamento por homicídio

Segundo o jornal local, JP NEWS. Grupo é acusado de integrar o tribunal do crime do PCC e executar assassino de garota de 12 anos em Três Lagoas

16 maio 2019 - 16h30

Nove integrantes do PCC, Primeiro Comando da Capital, vão a júri popular por assassinarem o preso José Leandro Carvalho de Jesus, 18 anos, na tarde do dia 30 de abril de 2015, em uma das celas do Estabelecimento Penal de Segurança Média de Três Lagoas. Os julgamentos estão marcados para o mês de junho.

Segundo denúncia do Ministério Público, José Leandro foi asfixiado e obrigado a ingerir um copo de leite com cocaína, depois de ser condenado a morte, pelo tribunal do crime, acusado de ser um dos autores da morte de Maísa Martins, de 12 anos de idade.

A condenação teria ocorrido em retaliação a morte da sobrinha de Fernando Barrinha Antonácio, que segundo a justiça é um dos integrantes da facção. José, junto com um jovem de 16 anos, participou de uma tentativa de roubo de uma corrente de ouro, que era usada pelo padrasto da vitima no dia da tragédia.

José Leandro Carvalho de Jesus, se entregou aos policiais do SIG sete dias após a morte de Maísa e em seu depoimento relatou que participou do assalto e que o dinheiro que conseguissem no crime seria utilizado para pagar uma divida que tinham com o tráfico, já que a dupla estava sendo ameaçada por traficantes.

Além do tio de Maísa, Fernando Barrinha Antonácio, também irão a julgamento, Arison Rodrigo Moreira, Euclides Marcel Pires, Éverton Rodrigues de Queiroz, Fabrício Cássio Vitória da Silva, Igor de Souza Alves, Maicron Selmo dos Santos, Matheus Alves de Melo e Paulo César Pereira de Paula.



ENTENDA O CASO

Maísa foi atingida com um tiro na cabeça durante tentativa de assalto, no Jardim Guanabara, em Três Lagoas, na noite do dia 5 de dezembro de 2014. A menina estava sentada em frente a casa de parentes, quando foi atingida por um disparo de arma de fogo. Maisa, que teria reconhecido um dos assassinos teria estudado com o autor do disparo fatal que tirou sua vida. A jovem foi baleada enquanto segurava um bebê no colo.

Veja na reportagem: 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aéreas criticam volta de bagagem gratuita; Idec diz que decisão do Congresso é positiva para o consumidor
Proposta que prevê gratuidade para bagagem de até 23 kg em voos domésticos ainda depende de sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.
INTERIOR
Nova Estação de Tratamento de Esgoto em Dourados deve entrar em pré-operação em junho
AMIZADE FORTE
Para celebrar 30 anos de amizade, idosas fazem tatuagem de ‘copo de cerveja’
FAMOSOS!
Padre Fábio de Melo sofre mal súbito, é levado às pressas para hospital e momento é exposto em vídeo
EXPLORAÇÃO INFANTIL
Crianças em desfile para serem adotadas: o que pode acontecer com elas?
PM tentou atrapalhar investigações sobre o assassinato de Marielle, aponta relatório da PF
INTERIOR
Caçamba que saiu de São Paulo e seguia para Vicentina pega fogo na MS-395 e chamas se espalham pela vegetação
INTERIOR
Casal é investigado por golpes contra idosos que somam mais de R$ 500 mil em Itaquiraí
SAÚDE
Em apenas cinco meses de 2019, dengue já matou em MS quatro vezes mais do que em todo 2018
CAPITAL
Polícia faz nova busca em local onde motorista de aplicativo foi morto: 'Foi um crime passional, agressivo e cruel'