Menu
Busca Sb, 07 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Polícia

Polícia matou os cinco suspeitos do assalto a carro forte da Brinks

04 dezembro 2019 - 20h58Por Plantão

 quinto integrante da quadrilha responsável pela tentativa de assalto ao carro-forte da empresa Brink’s, na fronteira com o Paraguai, morreu após nova troca de tiros com polícia na tarde desta quarta-feira (4), na área rural entre as cidades de Aral Moreira e Coronel Sapucaia, no sul do Estado. Com ele, conforme a polícia, foram encontrados fuzis e uma metralhadora .50, com capacidade de perfurar carros-fortes e até helicópteros.

Bandido era caçado pela força-policial desde a manhã de hoje, quando conseguiu fugir do cerco policial em uma fazenda da região, onde estava escondido com os comparsas. Na primeira ação, quatro assaltantes foram mortos, entre eles o baiano José Francisco Lumes, o "Zé de Lessa", considerado o "Ás de Ouro do Baralho do Crime" da Secretaria da Segurança Pública da Bahia.

Conforme levantado pelo Campo Grande News, o quinto envolvido foi localizado pelo GPA (Grupo de Patrulhamento Aéreo) na mata da fazenda. As equipes que faziam as buscas por terra foram avisadas e ao se aproximarem do suspeito foram recebidas a tiros. Um dos agentes que participaram da ação disse que o assaltante chegou a disparar contra o helicóptero.

Os policiais reagiram e o bandido foi ferido. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu. Com o suspeito foram apreendidos fuzis e a metralhadora .50, com alto poder de fogo. Arma do mesmo calibre foi usada na execução cinematográfica do narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, em 2016, na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

Também foram apreendidas, em meio à mata, duas escopetas, uma pistola e várias munições, que estavam junto com coletes à prova de balas usados pelos bandidos no assalto ao carro-forte, na manhã de segunda-feira (2).

 

Com informações de Ponta Porã informa

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENERGISA
Energisa é campeã em desrespeito ao consumidor
Caso Daniel
A Justiça e uma coisa e Judiciário é outra coisa
Fronteira violenta
A cabeça foi cortada ao meio e estava com as outras partes do corpo no tambor.
Campo Grande
Para vender áreas públicas Trad vai acertar com vereadores
Campo Grande
Trad e seus vereadores remanejam 240 milhões
Campo Grande
Trad e suas taxas para o povo pagar
Fronteira
"Quero a cabeça de meu filho" disse a mãe desconsolada
Inflação
A carne foi o item que mais subiu o preço
Fronteira
Dois assassinatos nesta sexta na fronteira
Judiciário
O magistrado corrupto é um "câncer" no judiciário