Menu
Busca Qua, 28 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
DEPOIS DO DECRETO!

Busca por armas aumenta 60%, mas ainda faltam informações para os interessados

Acesso em site de venda de armas subiu de 6 mil para 25 mil por dia

19 janeiro 2019 - 12h20

Aumentou em 60% a procura de pessoas interessadas em comprar armas em Campo Grande desde a divulgação do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que facilita a compra de armas no país.

Há nove anos no mercado de venda de armamentos, Aramiz Antônio, 37 anos, viu o número de acessos do site da empresa passar de 6 mil para 25 mil ao dia. O site chegou a ficar lento e o empresário teve que aumentar a banda larga da internet para atender a demanda.

“Falta muita informação para as pessoas. Antes do decreto o governo deveria divulgar os requisitos para a aquisição de armas. Agora todo mundo acha que dá para comprar. As pessoas acham que é como comprar uma televisão”, afirma.

Deste montante dos 60% de procura, ele divide 40% de pessoas que já têm a experiência de comprar armas e utilizaram o decreto para ampliar seu arsenal e coleção. “O restante dos 20% é de curioso.”

Antes de adquirir uma arma é preciso uma série de documentos. “Aqui no Mato Grosso do Sul uma pessoa vai gastar cerca de R$ 750 com os papéis de curso de tiro para o calibre preterido, exame psicológico, taxa de emissão de documento. Enfim, é uma pasta de documentação que habilita a pessoa a comprar um produto desses.”

A mais em conta é um revólver Taurus RT85/TI/MUL. O item é o preferido das mulheres e custa R$ 2,8 mil. “É uma arma voltada para o público feminino, porque pesa apenas 410 gramas com munições e cabe dentro da bolsa”. Já as mais caras são as importadas, que carregam 93,5% de imposto. Uma pistola deste modelo chega a custar a R$ 12 mil.

O calibre preferido dos compradores é a pistola de 380 e o público que se interessa em comprar armas tem perfil variado. Há ainda a exigência de se ter 25 anos ou mais.

O site da empresa de Antônio foi clonado há dois anos e até hoje está no ar por ser um provedor estrangeiro. Por isso, neste momento de liberdade da corrida pelo armamento é importante prestar atenção nos detalhes da empresa que está fazendo a venda.

“É preciso conhecer o estabelecimento que está comprando. A venda no país só é feita com todas as documentações. Nesse site fake não há selos de segurança, as armas estão sendo comercializadas pela metade do preço e se quer há uma exigência de documentação para  regularizar a venda da arma.”

ANISTIA

A expectativa é que no próximo dia seja publicado o decreto de anistia para quem possui armas irregulares no Brasil. Estima-se que este caso representa o arsenal de 9 milhões nesta situação.

Segundo o um dos quatro armeiros credenciados no Estado, Mauro Ferreira dos Anjos Junior, este montante abrirá espaço para o mercado de manutenção desse armamento. “Estamos aguardando a publicação do decreto.Uma restauração de arma antiga custa entre R$ 800 a R$ 1 mil”

Hoje para fazer a manutenção de uma arma é preciso ter uma guia de transporte, com horário e dia específico. A arma necessita estar em dia a documentação do armamento e do cliente.

No entanto, o proprietário da Casa do Tiro, Antônio Aramiz, acredita que a proximidade da fronteira do Brasil com Paraguai e Bolívia vai facilitar a compra de armas para serem regularizadas no país com a anistia. “Não vamos só perder a venda, mas o número de arma irregular entrando no país para contrabando e criminalidade será maior”, conclui.

REQUISITOS

No Brasil, armas de fogo podem ser comercializada para todos os cidadãos brasileiro ou estrangeiro desde que preencham os requisitos legais, conforme descrito na Lei 10.826/2003, são estes: 

* Ter idade mínima de 25 anos, exceto para os cargos definidos no artigo 28 da Lei 10.826/03;
* Possuir RG, CPF e comprovar residência (Água, Luz, Telefone, DECLARAÇÃO com firma reconhecida do titular da conta ou do proprietário do imóvel, Certidão de Casamento ou de Comunhão Estável), caso esteja em nome do cônjuge ou companheiro;
* Declarar a efetiva necessidade, expondo fatos e circunstâncias que justifiquem o pedido;
* Comprovar idoneidade, com a apresentação de certidões negativas de antecedentes criminais fornecidas pela Justiça Federal, Estadual (incluindo Juizados Especiais Criminais), Militar e Eleitoral e de não estar respondendo a inquérito policial ou a processo criminal.
* Apresentar documento comprobatório de ocupação lícita, ex.: Holerite; Contrato social; Carteira profissional / funcional; Inscrição Estadual da área rural e etc.;
* Comprovar capacidade técnica e de aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo, realizado em prazo não superior a 01 ano, que deverá ser atestado por instrutor de armamento e tiro e psicólogo credenciado pela Polícia Federal;
* 1 (uma) foto 3x4 recente.
* Pagar a taxa no valor de R$ 88,00, conforme estabelecido no art. 11, I e Anexo da Lei 10.826/03.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte:correioestado

 

 

 

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana