Menu
Busca Sex, 05 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
Agricultura

La Niña pode se estender até a primavera e os efeitos impactam no agro

20 fevereiro 2021 - 15h00Por AB/ PMS

Relatório do modelo meteorológico da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) aponta para possível presença do La Niña até meados do início da primavera. Fatores climáticos impactam diretamente no setor agrícola, e são fundamentais para o planejamento e tomada de decisões.

A tendência é que o fenômeno diminua de intensidade até o meio do ano e volte a aumentar. Mesmo que não seja tão forte como no final de 2020, o aumento de La Niña ao longo do segundo semestre pode trazer novamente um possível atraso de chuva para as regiões sudoeste e centro-oeste do Brasil, conforme análise da Somar Meteorologia.

Uma possível concretização dessa condição estimada gera preocupação no setor agrícola, destaca o diretor executivo da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural, Fernando Luiz Nascimento. 

“Se essas previsões confirmarem o que pode acontecer na safra de verão 2021/22 é um atraso do plantio como ocorreu nesta safra atual, isso é um risco. Outro risco é agora para o milho safrinha. Existe uma previsão da Embrapa de 75% de chance de probabilidade de ocorrer pelo menos uma geada nesse outono/inverno nosso. E é exatamente neste período que nós temos a principal safra de milho. O milho safrinha hoje é a principal safra do Estado no período de inverno. Então é preocupante porque pode afetar o milho numa fase que ele é muito sensível”, explica. 

Para reduzir os riscos na hora do cultivo e ter mais segurança na produção, ele recomenda que o agricultor use o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC). “Plante dentro do período recomendado. No caso do milho, até o mês de março. Evite prolongar o máximo possível o plantio. Porque se realmente acontecer essa questão da geada lá por maio ou julho, pode complicar a questão da produtividade do milho safrinha aqui em Mato Grosso do Sul”, orienta. 

Os fenômenos El Niño e La Niña são padrões climáticos naturais que resultam da interação entre o oceano e a atmosfera. Ambos envolvem anomalias das temperaturas da superfície do oceano e da circulação atmosférica, resultando em extremos climáticos em todo o mundo. Se de um lado, o El Niño consiste no aquecimento anormal do Oceano Pacífico Equatorial, o La Niña é o inverso, e provoca o resfriamento do Pacífico Equatorial.

Mireli Obando, Subcom

Foto: Divulgação

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Empresas do setor de turismo do MS já podem acessar as linhas de crédito do Fungetur
Campo Grande
Alerta em Campo Grande
Covid 19 em MS
Governo de MS culpa prefeitos por avanço do coronavírus e diz que decisão de lockdown cabe a municípios
Ao contrário de outros Estados, MS decretou apenas toque de recolher às 23h
Campo Grande
Moradores se revoltam contra Trad por sujeira e mato nos bairros da capital
Gestão Pública
Governo inicia mais uma etapa para tornar gestão mais eficiente e qualificar serviços
Esporte
Bolsa Atleta e Bolsa Técnico seguem com inscrições abertas até 12 de março
Digital
Detran Digital: Em um ano, número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%
Evangélicos
Baixaria na igreja
Saúde Pública
Segundo mais frequente no Brasil, câncer colorretal tem prevenção e chances de cura com diagnóstico precoce
Dourados
Prefeitura de Dourados paga R$ 32 milhões em salários nesta sexta