Menu
Busca Sex, 28 de fevereiro de 2020
(67) 9.9928-2002
DOURADOS

Dívida que ameaçava atendimento em UTI será paga em 32 parcelas

12 abril 2018 - 19h37Por Redação Notícias VIP
A Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados) se comprometeu a repassar, a partir do próximo dia 19, os valores referentes aos nove meses em que a Intensicare Gestão em Saúde ficou sem receber. A empresa opera os 20 leitos da UTI do Hospital da Vida, em Dourados, e ameaçava parar de receber novos pacientes à meia-noite de hoje (12). 

O acordo intermediado pelo Ministério Público, por meio do promotor Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, entre a fundação e a contratada, estabelece que os R$ 8,064 milhões referentes ao atraso, serão pagos em 32 parcelas.

A primeira, no valor de R$1,5 milhão, será debitada até o dia 19 deste mês e mais R$1,5 milhão até 19 de maio. O resíduo no valor de R$ 5.064 milhões deve ser quitado em 30 parcelas mensais de R$ 168,8 mil com o primeiro vencimento a contar de 19 de junho.

Além de não afetar o atendimento aos pacientes, com o compromisso firmado nesta quinta-feira (12), a Intensicare também dará continuidade as obras de mais 10 leitos da UTI do hospital. O contrato original também será prorrogado para mais 36 meses. 

A unidade recebe em maioria, pacientes não só da Grande Dourados, como do Vale do Ivinhema e da região sul do Estado. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
OMS: casos de coronavírus foram confirmados em mais nove países
Campo Grande
"Trad parece que gosta de ver a população no buraco e lixo.", reclamou morador
Interior
Campo Grande: acidente na MS 080 entre Fiorino e caminhão
Brasília
Bolsonaro evita imprensa
Polícia
Giroto está desesperado para sair da cadeia
Saúde
Coronavírus: Japão desembarca tripulação do navio Diamond Princess
Política
Senadores têm 12 dias de 'recesso' e retornam em março
Brasília
Senadores reagem à vídeo de Bolsonaro
Brasil e Mundo
Segredos do lado oculto da Lua são revelados por missão da China
Política
Bolsonaro não pode justificar vídeos contra Congresso como 'conversa pessoal', dizem constitucionalistas