Menu
Busca Seg, 14 de outubro de 2019
(67) 9.9928-2002
Palco de confusão

Justiça manda Ragazzo pagar R$ 10 mil após segurança desfigurar cliente

09 outubro 2019 - 15h30Por UOL NOTICIAS

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a rede de restaurante de fast-food Ragazzo, que pertence ao Habib's, a pagar uma indenização de R$ 10 mil a um cliente que teve o rosto desfigurado por um segurança terceirizado. Aos chutes, o funcionário de uma das unidades quebrou a mandíbula de Samuel Soares da Silva, 28, por desconfiar que ele não pagaria a conta.

A vítima estava em uma unidade do restaurante em Santo André, na Grande São Paulo, acompanhado de outras três pessoas quando notou que havia esquecido o cartão de crédito no momento de pagar a conta. Ele pediu que um amigo aguardasse no restaurante enquanto ele fosse até sua casa buscar o cartão. Quando ele voltou, foi recebido aos pontapés por um segurança.

"Ele sofreu diversas lesões na face e fraturas na mandíbula, decorrente de golpes com socos e chutes no rosto", contou ao UOL João Jacinto Anhê Andorfato, advogado da vítima, mestre em direito pela PUC-SP e sócio do escritório Stuchi, Dias & Andorfato Advogados.

À Justiça, uma testemunha disse que viu a cena de um carro estacionado em frente ao restaurante. Ela conta que, quando a vítima retornou para efetuar o pagamento, "foi conversar com o rapaz, que do nada começou a agredir, a chutar ele", conta. "Ele estava com uniforme de cor preta e identificação do Ragazzo."

De acordo com o processo, o segurança se identificou como gerente antes de iniciar as agressões. O rapaz, que teve a mandíbula quebrada, precisou ser submetido a duas cirurgias no SUS (Sistema Único de Saúde) para reconstrução facial e incisão de 22 pinos na mandíbula.

A Justiça não aceitou o pedido de indenização de R$ 50 mil e fixou o valor em R$ 10 mil por danos morais e estéticos.

"O arbitramento em R$ 10.000 afigura-se suficiente para reduzir o sofrimento experimentado pela vítima e sem causar enriquecimento ilícito, prestando-se também como fator de desestímulo para que situações assim não venham a ocorrer novamente", escreveu o relator Mario A. Silveira.

Unidade do Ragazzo em Santo André onde ocorreu a confusão - Google Street View

Unidade do Ragazzo em Santo André onde ocorreu a confusão - Imagem: Google Street View


Para o advogado de defesa, falta um "critério mínimo" para a fixação do valor de indenização, embora a cifra esteja nos "padrões observados na jurisprudência".

"Enquanto situações gravíssimas como lesão à integridade física e morte envolvendo pessoas comuns ensejam indenizações módicas, casos envolvendo ofensas à honra de autoridades ou figuras públicas chegam a valores exorbitantes", diz.

Ele cita o caso da jornalista Monica Iozzi, condenada a pagar R$ 30 mil ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes por conta de uma publicação em seu Instagram criticando uma decisão.

"Afinal, a honra de uma autoridade vale mais que a integridade física e a vida de um brasileiro anônimo?", questiona Andorfato.

O Ragazzo ainda pode recorrer. Procurado, o restaurante não respondeu até a última atualização desta reportagem.

 

Adolescente morreu no Habib's em 2017

Em fevereiro de 2017, o adolescente João Vitor, 13, morreu após uma confusão em uma lanchonete Habib's, do mesmo grupo do Ragazzo. Uma testemunha disse à polícia que viu o adolescente ser agredido por "um homem forte, gordo, moreno com uniforme do Habib's" e desmaiar em seguida. Segundo o relato, o homem segurou o garoto pela gola da camisa e deu um soco na cabeça dele.

Exames e laudos, no entanto, atestaram que ele morreu por um ataque cardíaco após uso de drogas, como "cocaína e tricloroetileno". O coração do garoto seria compatível "com coração de indivíduo idoso, de cerca de 90 anos de idade".

Com informações,  UOL.

DENUNCIE VIOLENCIA CONTRA A MULHER

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jogo de ontem
Zagueiro Marquinhos reconhece atuação ruim da seleção em Cingapura
Interior
Ao sair de festa, jovem é abordado por 10 rapazes e esfaqueado em Aquidauana
Polêmica nas redes sociais
Eduardo Bolsonaro ironiza sigla LGBT em camiseta
Caixa das laranjas
Notas fiscais reforçam a suspeita de caixa 2 na campanha do PSL de 2018
Campo Grande - sem efetividade
Trad não consegue evitar aumento de acidentes
Justiça
Justiça determina que governo contenha avanço de óleo em Sergipe
Interior
Três moradores em Guia Lopes são mortos e um é ferido na boca em possível tentativa de latrocínio em Corumbá
Internacional
Mercosul e Prosul apoiam governo do Equador e pedem fim dos protestos
Capital
Semana começa com calor de 40°C e chuva em todas as regiões de MS
Campo Grande
É vergonhoso ver esses politiqueiros que usam o santo nome em vão