Menu
Busca Qui, 18 de julho de 2019
(67) 9.9928-2002
JUSTIÇA

Polícia prende dois integrantes de milícia ligada a mais de 50 mortes

Organização criminosa atuava em Itaboraí, no Grande Rio

12 julho 2019 - 16h30

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí prendeu em flagrante nesta sexta-feira(12), Lucas Monteiro de Mendonça e Igor de Oliveira da Fonseca, integrantes de milícia que age com extrema crueldade na região e é acusada de mais de 50 homicídios. Os dois foram presos acusados pelos crimes de extorsão e porte ilegal de arma de fogo. 

A milícia está sendo desarticulada desde a Operação Salvator, realizada no último dia 4 de julho. Com esses dois, já são 45 presos até o momento. Um cemitério clandestino onde as vítimas da quadrilha eram enterradas também foi descoberto pela polícia.

De acordo com a delegacia, Lucas tem dois mandados de prisão, sendo um por tortura e outro por organização criminosa. Já Igor respondia pelo crime de organização criminosa. Eles foram encaminhados ao sistema prisional do Estado, já que estavam com a prisão preventiva decretada pela Justiça.

 

Organização criminosa
A organização criminosa é comandada por Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, que cumpre pena em um presídio federal, em Mossoró (RN), desde outubro de 2017.

Curicica foi apontado como suspeito de participação nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado. Apontado como responsável por vários casos de homicídio, tortura, extorsão e desaparecimento de 50 pessoas, o grupo comandado por ele chegava a lucrar cerca de R$ 500 mil por mês ameaçando moradores e comerciantes de Itaboraí. 

Com informações, Agência Brasil.

Liberdade de expressão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Ladrões se dão mal ao cair da moto
Mega-Sena
Resultado do sorteio do concurso n. 2170
JUSTIÇA
Registro de crimes cai no primeiro trimestre do ano
JUSTIÇA
Em MS, homem é preso em casa com arma, munições e R$ 21 mil
MILICIA
PF investiga suposta 'milícia' que com ameaças, extorsões e violência estaria tentando controlar aldeia urbana em Campo Grande
JUSTIÇA
Professor pesquisado por acusado de matar Marielle renuncia à direção após ameaças
Exemplo
PREFEITO MEXICANO SE DISFARÇA DE DEFICIENTE PARA TESTAR FUNCIONÁRIOS E FOI ISSO QUE ELE DESCOBRIU
Pai ridiculariza filha publicamente por ela não apoiar o atual governo
INVESTIGAÇÃO
Arma achada na casa de Flordelis foi usada para matar pastor
INTERIOR
Esposa de defensor público é encontrada morta em residência em MS