Menu
Busca Qui, 23 de maio de 2019
(67) 9.9928-2002
Judiciário

TRF4 determina prisão de José Dirceu em 2a condenação na Lava Jato

16 maio 2019 - 17h00

A Quarta Seção do Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF4) negou hoje
(16) um recurso do ex-ministro José Dirceu, que buscava a reversão de sua
segunda condenação na Operação Lava Jato, e determinou que ele comece de
imediato a cumprir a pena de 8 anos e 10 meses pelos crimes de corrupção e
lavagem de dinheiro.

Ao final do julgamento, foi determinada a notificação à 13a Vara Federal de
Curitiba para que providencie a prisão de Dirceu, tendo como base o
entendimento atual do Supremo que permite o cumprimento de pena após o fim
da tramitação do processo na segunda instância.

A segunda condenação de Dirceu na Lava Jato foi proferida pelo então juiz
federal Sergio Moro em março de 2017, quando o ex-ministro foi considerado
culpado por ter recebido R$ 2,1 milhões em propina proveniente de contratos na

Petrobras, entre 2009 e 2012.
Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), parte desse valor foi
recebido por meio de 118 voos em táxis-aéreos. A pena inicial estipulada foi de
11 anos e três meses de reclusão.

A condenação foi confirmada pela Oitava Turma do TRF4 em setembro do ano
passado. A pena, porém, foi abrandada, sendo reduzida para oito anos e 10
meses. Em seguida, a defesa do ex-ministro apresentou diversos recursos em
forma de embargos, prolongando o desfecho do caso na segunda instância.

Nesta quinta, por unanimidade, os sete desembargadores da Quarta Seção do
TRF4 negaram o último desses embargos, no qual a defesa buscava a prescrição
dos crimes dada a idade avançada do ex-ministro, hoje com 72 anos. Também foi
determinado que o irmão de Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, condenado
no mesmo caso, comece a cumprir sua pena de 8 anos e 9 meses de reclusão.
Prisão anterior

José Dirceu chegou a ser preso na Lava Jato em maio do ano passado devido à
confirmação no TRF4 de sua primeira condenação no âmbito da operação, na
qual a pena estipulada foi de 30 anos de prisão. Ele foi posteriormente solto,
porém, por determinação do Supremo Tribunal Federal.

Em agosto do ano passado, a Segunda Turma do STF entendeu, por maioria,
haver plausibilidade suficiente no recurso especial de Dirceu ao Superior Tribunal
de Justiça (STJ) contra sua primeira condenação na Lava Jato, motivo pelo qual
ele deveria ser solto. Essa decisão, porém, não abrange a segunda condenação
do ex-ministro.


Felipe Pontes - Repórter da Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aéreas criticam volta de bagagem gratuita; Idec diz que decisão do Congresso é positiva para o consumidor
Proposta que prevê gratuidade para bagagem de até 23 kg em voos domésticos ainda depende de sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.
INTERIOR
Nova Estação de Tratamento de Esgoto em Dourados deve entrar em pré-operação em junho
AMIZADE FORTE
Para celebrar 30 anos de amizade, idosas fazem tatuagem de ‘copo de cerveja’
FAMOSOS!
Padre Fábio de Melo sofre mal súbito, é levado às pressas para hospital e momento é exposto em vídeo
EXPLORAÇÃO INFANTIL
Crianças em desfile para serem adotadas: o que pode acontecer com elas?
PM tentou atrapalhar investigações sobre o assassinato de Marielle, aponta relatório da PF
INTERIOR
Caçamba que saiu de São Paulo e seguia para Vicentina pega fogo na MS-395 e chamas se espalham pela vegetação
INTERIOR
Casal é investigado por golpes contra idosos que somam mais de R$ 500 mil em Itaquiraí
SAÚDE
Em apenas cinco meses de 2019, dengue já matou em MS quatro vezes mais do que em todo 2018
CAPITAL
Polícia faz nova busca em local onde motorista de aplicativo foi morto: 'Foi um crime passional, agressivo e cruel'