Menu
Busca Sex, 07 de maio de 2021
(67) 9.9928-2002
POLÍTICA

Em 2010 Lula cortou R$ 1,28 bilhão e não houve manifestações

15 maio 2019 - 17h50

“O governo definiu os ministérios e os órgãos da União que terão uma nova redução de orçamento este ano (2010), como parte do corte de gastos anunciado recentemente pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. O Ministério da Educação foi o mais afetado e terá R$ 1,28 bilhão a menos para gastar. Com esse corte adicional, o orçamento da Educação perdeu R$ 2,34 bilhões em relação aos valores aprovados pelo Congresso.”

Naquele ano o Executivo reduziu […] despesas no valor de R$ 7,5 bilhões. Para alcançar um corte de R$ 10 bilhões, conforme anunciado no dia 13 de maio daquele ano […].

No entanto não houve manifestações ou críticas por parte da maioria política cooptada pelo dinheiro que rolava solto entre os parlamentares e que vem sendo recuperado vagarosamente a partir das diversas operações desencadeadas pela Polícia Federal e Ministério Público. Também os estudantes e professores não foram para as ruas, ainda que perdessem verba para pesquisas, mestrados e doutorados.

Isso não é uma defesa do corte de verbas, ou contingenciamento, apenas um estranhamento em elação as diferentes posturas em dois momentos distintos: calmaria quando havia um governo de esquerda, manifestações quando há um governo de direita liberal.

Nesses cinco meses de governo a economia tem sido a prioridade para que o país enfrente uma série crise financeira e, devemos torcer para que acerte a mão e retome os investimentos, inclusive na educação. Contingenciamento não é, necessariamente, corte de investimentos, mas o governo não tem comunicação, não sabe falar com o legislativo nem com a população. O medo é que se torne refém, e tudo leva a crer que vá se entregar ao apetite voraz para formar uma base no Congresso.

Então, entre as patifarias dos meninos de ouro Bolsonaros, a sanha de poder do presidente da Câmara Federal, o fisiologismo dos parlamentares, o despreparo do próprio presidente e um ministério risível em sua maioria, podemos aprofundar o caos ao invés de nadar até uma tábua de salvação.

 

Jornalista Dirceu Martins.

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Judiciário
Ex-prefeito de Campo Grande é preso por condenação de corrupção e lavagem de dinheiro
Brasília
Senadores comemoram liminar do STF que obriga governo a realizar o censo
Brasíl
Publicada MP de flexibilização trabalhista para enfrentamento da crise
Polícia
Polícia Federal faz operação contra tráfico de drogas em cinco estados
Brasília
Aliada de Bolsonaro tem ligação com juiz que tentou tirar Renan da CPI da Covid
Esporte
Bahia goleia por 5 a 0 na Sul-Americana Tricolor de Aço vence o Guabirá, da Bolívia
Economia
Governo pagará R$ 418 milhões em salários no Dia do Trabalhador
Esporte
Libertadores: Santos é superado pelo Boca na Bombonera
Campo Grande
Há muita sujeira em Campo Grande, dizem moradores do Duque de Caxias
Esporte
Internacional se recupera na Libertadores com vitória sobre Táchira