Menu
Busca Sex, 23 de outubro de 2020
(67) 9.9928-2002
POLÍCIA

Atirador em briga de cachorros diz que ficou escondido em fazenda antes de se apresentar em delegacia de MS

12 abril 2018 - 10h30Por Redação Notícias VIP
 O motorista suspeito de atirar e matar um jovem de 21 anos, após uma briga por causa por cachorros na região da Orla Morena, em Campo Grande, disse que ficou escondido em uma propriedade rural, logo após o crime. Ele passou algumas horas na delegacia e responde ao crime em liberdade, assim como os outros envolvidos de 19 e 17 anos.

Em depoimento, ele também alegou que teve 'ímpeto de defender filhos' e por isso levou a arma e atirou contra a vítima. Na ocasião, os filhos dele chegaram em casa e teriam reclamado de apanharem na rua. "Estamos em fase de conclusão deste inquérito. Os três já se apresentaram e estamos aguardando a chegada de laudos", afirmou ao G1 o delegado Sérgio Luiz Duarte, responsável pelas investigações.

Logo após a oitiva, ainda conforme a polícia, dois advogados que acompanhavam o motorista apresentaram habeas corpus e ele foi liberado. O adolescente de 17 anos e o suspeito Eduardo Fialho Júnior, de 19 anos, também estão em liberdade. Eles também conversaram formalmente com a polícia e comentaram que não sabiam que o pai portava arma.

O motorista, que esteve na 2ª delegacia no dia cinco de abril, deve responder por três crimes: homicídio qualificado por traição ou emboscada, omissão de cautela do animal, que é uma contravenção penal, além da lesão corporal dolosa. As penas, de acordo com o delegado, podem chegar a 30 anos de prisão.

Além da morte do jovem, os envolvidos também teriam tentado sequestrar e torturar um adolescente de 17 anos, que estava com a vítima e já tinha sido ferido a coronhadas. O grupo foi perseguido por quatro quadras.

Entenda o caso
A confusão começou quando a vítima passou próximo à residência de um dos suspeitos, com dois cachorros e três amigos, na região da Orla Morena, e o cão da raça pit bull escapou. Os animais começaram a brigar e, para separar, os amigos empurraram e chutaram o cachorro do desconhecido. O fato ocorreu na noite do dia 22 de março e três pessoas foram identificadas.

O dono do pit pull não gostou e eles começaram a discussão. Os amigos decidiram ir embora, sentido à avenida Tamandaré. Mas, em seguida, o homem começou a perseguí-los, acompanhado com duas pessoas em um carro prata. Segundo a polícia, um deles estaria armado.
RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil e Mundo
Recusa de Bolsonaro à vacina chinesa repercute no mundo
Política
Kassio Nunes afirma em sabatina que podem ser feitas correções na Lava Jato
Brasil
Operação Índia cumpre mandados no DF e em cinco estados
Saúde
Morre brasileiro voluntário para vacina de Oxford
Pastor hipócrita
Pastor é preso por abuso dentro de ônibus e diz que 'caiu em tentação'
Brasil
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, está com covid-19
Operação Arla 32
PRF participa de operação de combate a adulteração de combustíveis e Arla 32
Saúde
Não há intenção de compra de vacina chinesa, diz secretário
Política
Bolsonaro diz que governo federal não comprará vacina CoronaVac
Brasilia
Nunes fala de independência de Poderes e ativismo judicial, no Senado