Menu
Busca Ter, 03 de agosto de 2021
(67) 9.9928-2002
TRÁFICO DE PEESOAS

Dono de boate é preso por tráfico internacional de pessoas e por manter casa de prostituição

23 janeiro 2019 - 10h07

A Delegacia da Polícia Civil de Brasilândia prendeu em flagrante delito o dono de uma boate na cidade, ANTONIO CARLOS PEREIRA COSTA, acusado de tráfico internacional de pessoas e por manter casa de prostituição.

A ação foi deflagrada após a Polícia Civil ter apurado que garotas de programas que trabalhavam no local eram impedidas de sair, caso não pagassem as dívidas que iam contraindo com o dono do local. Tais dívidas eram originadas desde o consumo com alimentação, bebida e até taxas que as garotas deviam por programa realizado.

A Polícia apurou que três cidadãs paraguaias que trabalhavam no local tentaram fugir na tarde de ontem, mas foram perseguidas pelo proprietário da boate, que subtraiu dinheiro, telefone celular e bagagem e uma delas, alegando que ela ainda não havia dado o retorno do investimento feito nela e por isso não poderia ir embora para seu país de origem. Documentos apreendidos pela Polícia Civil comprovam que o proprietário da boate financiava a vinda das cidadãs paraguaias para o Brasil, onde eram obrigadas a se prostituir até que fosse pago o valor que ele, supostamente, teria investido nas garotas de programas. Tais valores incluíam estadia na boate, alimentação (precária), bebidas e comissão de programas realizados.

Foram apreendidos tikets de passagens desde Foz do Iguaçú-PR até a região de Brasilândia, bem como comprovantes de pagamentos feitos em casa de câmbio, cujos favorecidos eram cidadão paraguaios, indicando a ocorrência de tráfico de seres humanos, cuja pena chega a 8 anos de reclusão. Apena para o outro crime, de manter casa de prostituição, pode chegar a cinco anos de reclusão.

Na casa de prostituição foram apreendidos preservativos, cadernos com anotações sobre os programas e consumo das garotas de programa e uma máquina de cartão de crédito. A Polícia Civil vai solicitar a quebra de sigilo do equipamento e ouvir as pessoas que fizeram gastos com cartão de crédito ou débito no local, para apuração mais detalhada do crime.

As cidadãs paraguaias resgatadas foram ouvidas na delegacia e liberadas, indicando que seguiriam viagem para seu pais de origem. Todas apresentavam documentos de migração. A Polícia Civil vai encaminhadas ofício à Polícia Federal com os dados das cidadãs paraguaias para verificação da legalidade do ingresso no país e possível procedimento de expulsão do Brasil. Com informações G1.

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana