Menu
Busca Sex, 22 de novembro de 2019
(67) 9.9928-2002
INTERIOR

Fraude em secretarias causou prejuízo de R$ 1 milhão aos cofres públicos

11 abril 2018 - 14h42Por Redação Notícias VIP
A operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realizada na manhã desta quarta-feira (11) desarticulou uma quadrilha responsável por um prejuízo de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos de Bela Vista - a 322 quilômetros de Campo Grande.

Segundo o MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), o grupo fraudava licitações e contratos com a prefeitura para a prestação de serviço público de transporte de Bela Vista. Conforme as investigações, o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 1 milhão.

Oito pessoas estão presas temporariamente, entre elas servidores públicos, empresários de Caracol e secretários da Prefeitura de Bela Vista. Os nomes não foram divulgados, mas as ações desta manhã se concentraram na Secretaria Municipal de Saúde e na de Educação, chefiadas por Angela Venturini Baggio e Edineia Aparecida Ovelar da Silva, respectivamente.

As buscas foram realizadas em 19 locais em Bela Vista e Caracol - incluindo as casas dos investigados, a Prefeitura de Bela Vista, e as Secretarias de Educação e Saúde - por policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e equipes da Promotoria de Justiça de Bela Vista e do Gaeco.

Foram apreendidos ainda espingardas, diversas munições, documentos e dinheiro. A quantia não foi divulgada pela MPE-MS. 

Os mandados judiciais foram expedidos pelo Juiz da Comarca de Bela Vista e a investigação conduzida pelo Promotor de Justiça William Marra Silva Júnior, titular da Promotoria de Justiça de Bela Vista, e pelo GAECO.


Deixe seu Comentário

Leia Também

Religioso
Morre Rabino Henry Sobel
Operação Omertà
Mais um policial envolvido com ovcrime
Polícia
Pernambuco morreu na calçada
Ponta Porã
Helicóptero cai na fronteira
Prisão na 2° instância
Acabar com a presunção de inocência por raiva?
Operação Patrom
Dono da casa china nega ter ajudado doleiro
Campo Grande
Fechar escola é imperdoável
Polícia
Os bandidos usam toga no Judiciário
Polícia
DOF meteu algema no traficante
Prisão
Prisão em 2° instância , passou no CCJ