Menu
Busca Dom, 07 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
Fronteira

"Gringo Gonzales", considerado um dos mais temidos do mundo do crime, foi preso em PJC.

A polícia paraguaia transferiu o preso para Assunção onde ficará em presidio de segurança máxima.

24 janeiro 2021 - 20h00Por AB - EBC

Sob forte esquema de segurança com veículos blindados e até tanques de guerra, o traficante Clemencio Gonzales Gimenez,  " o Gringo González", de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a Ponta Porã, distante 323 quilômetros de Campo Grande, preso na última sexta-feira (22), foi transportado para a sede do Grupo Especializado em Assunção, neste sábado (23). 

 

Desde a prisão do traficante, toda a região onde fica a sede do Departamento de Investigações em Pedro Juan estava cercada e fortemente vigiada. Até metralhadoras .50 foram posicionadas para repelir qualquer tentativa de resgate como aconteceu recentemente com o brasileiro Giovane da Silva Barbosa, o Bonitão, quando mais de 30 homens armados tentaram invadir o local. O plano não deu certo e Bonitão foi extraditado para o Brasil. Ele é acusado de ser um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) na fronteira.  

Neste sábado, um comboio com dezenas de carros e centenas de homens deixou o Departamento rumo ao aeroporto de Pedro Juan Caballero e a movimentação dos policiais acabou chamando a atenção da população e interrompendo o tráfego em todo o trajeto.  Gringo foi colocado em um veículo blindado o Tigre 5 e transportado até a pista de pouso onde embarcou na aeronave rumo ao  Aeroporto Silvio Pettirossi em Luque, na grande Assunção. 

De acordo com o comissário Gilberto Fleitas da Polícia Nacional, a prisão de Gringo foi um duro golpe no crime organizado na fronteira e que mesmo ele tendo ficado foragido por mais de seis anos, ele nunca deixou de ser procurado e que o trabalho de inteligência e o plano de captura funcionou perfeitamente. 

Acusado de diversos crimes de homicídios contra policiais, desafetos e concorrentes, um dos mais cruéis atribuídos a ele foi o rapto e a execução de Amado Felício Martinez em 2004. Amado teria se envolvido em um acidente de trânsito onde o irmão do traficante morreu. Como vingança ele ordenou o rapto e a execução dele. (Com informações do site Ponta Porã News e Campo Grande News)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil e Mundo
Ministério decreta situação de emergência ambiental prévia
Meio Ambiente
FundturMS faz visita técnica à Estrada Parque de Piraputanga e identifica potencialidades da região
Meio Ambiente
Temporada de pesca começa com alto índice de conscientização ambiental
Interior
Ribas do Rio Pardo receberá Seção Comunitária de Bombeiros
Mato Grosso do Sul
Já faltam leitos nos hospitais da macrorregião de Campo Grande
Campo Grande
Hemosul de Campo Grande abre o dia todo neste sábado; unidade precisa de sangue O- e O+
Interior
Agesul interdita parcialmente ponte na MS-243, no Nabileque
Mortes por Coronavirus no Brasil
Brasil virou referência de bagunça de politicos, vírus, infeção, falta de estrutura e mortes.
Vacinação
Politicagem e desordem
Economia
Empresas do setor de turismo do MS já podem acessar as linhas de crédito do Fungetur