Menu
Busca Seg, 16 de setembro de 2019
(67) 9.9928-2002
JOVEM PERDIDO NESTA VIDA

Mestrando de universidade pública de MS é flagrado com laboratório de maconha e haxixe em casa, diz polícia

Jovem foi preso enquanto fumava um cigarro de maconha na esquina do imóvel dele e confirmou que “oferecia aos amigos”.

12 junho 2019 - 17h00

Um jovem de 25 anos, mestrando de biologia de uma universidade pública de Mato Grosso do Sul, foi preso com droga, a qual ele “oferecia aos colegas”, segundo a polícia. O suspeito foi preso em flagrante nessa terça-feira (11), no bairro Monte Carlo, em Campo Grande.

Ao G1, Igor Alexei Rodrigues Amorim disse que os 3 kg de maconha e haxixe eram para consumo próprio, porém, reafirmou que oferecia para amigos há um ano. A polícia, no entanto, suspeita que o crime esteja sendo praticado há pelo menos 4 anos.

A investigação chegou até ele após uma denúncia anônima e o flagrou nas proximidades da casa dele, fumando um cigarro de maconha por volta das 17h (de MS). Em seguida, os policiais foram até a casa dele, onde reside com a mãe.

No local, os policiais encontraram um pequeno laboratório, no qual ele transformava a maconha em haxixe, sendo apreendidas e os petrechos para o preparo da droga.

O estudante, que não tinha antecedentes criminais e recebia uma bolsa do Governo Federal de R$ 1,5 mil, teve a prisão convertida em preventiva. Ele vai responder por tráfico de drogas, com pena que varia de 5 a 15 anos de prisão.

“Nós acreditamos que ele não só vendia para amigos como oferecia no entorno da faculdade e casa dele, principalmente porque as conversas no celular apontaram indícios do crime. Também deve ser solicitada a quebra de sigilo para que seja descoberto o fornecedor”, ressaltou o delegado Hoffman D’Àvila, responsável pelas investigações.

Em uma das conversas, quando um suposto cliente fez pedido, o jovem teria respondido: “Pode procurar comigo, que eu tenho sim”. A mãe dele foi questionada e alegou não saber que o filho praticava o crime.

Para o delegado, o suspeito também disse que aprendeu a fabricar o ilícito “assistindo vídeos na internet”. A pena para o crime varia de 5 a 15 anos de prisão.

Drogas e objetos encontrados no laboratório que estudante mantinha em casa — Foto: Graziela Rezende/G1 MS
Drogas e objetos encontrados no laboratório que estudante mantinha em casa — Foto: Graziela Rezende/G1 MS

 

Com informações, G1 MS.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ciumes
Jogador de basquete é morto por casal de adolescentes
LUTO
Corpo do cantor Roberto Leal é sepultado em São Paulo
246 KG
Com 246 kg, homem pede socorro e inicia tratamento para fazer cirurgia: 'Não consigo sair com minha família'
Redemoinho de fogo?
Meteorologia ou revolta da natureza?
Economia
Preço do petróleo sobe após ataques na Arábia Saudita
Campo Grande
É o "civismo" pré-campanha eleitoral dos Vereadores da capital.
Sequestro
Pai pede para segurar bebê e sequestra criança em praça em MS
Interior
Fogo atinge fazenda de Bodoquena e avança em direção à área urbana
50 TIROS
Casal e criança são mortos com cerca de 50 tiros, em Ponta Grossa
Política
Bolsonaro fala sobre julgamento envolvendo autor de facada