Menu
Busca Sáb, 25 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Saúde Pública

MPF abre inquérito para apurar execução orçamentária do Ministério da Saúde na pandemia

03 junho 2020 - 10h00Por Reuters/ Chico Bahia

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério Público Federal (MPF) abriu um inquérito civil público para apurar uma eventual baixa execução orçamentária de recursos por parte do Ministério da Saúde para o combate ao novo coronavírus, segundo decisão do órgão tornada pública nesta terça-feira.

A investigação dos procuradores quer saber as justificativas da pasta para a utilização de apenas 6,8% dos recursos destinados diretamente para a emergência sanitária provocada pela pandemia, segundo dados retirados do próprio site do ministério no dia 27 de maio, de acordo com o MPF.

Conforme os dados, somente 804,68 milhões de reais, de um total de 11,74 bilhões de reais, foram usados para a ação “Enfrentamento da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional Decorrente do Coronavírus”, disse MPF.

 

A apuração teve como base representação apresentada ao Ministério Público. Se for procedente, ela pode levar a ações de improbidade administrativa contra autoridades.

Ex-ministro da saúde, Dr. Nelson Teich.

Durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto nesta terça, o secretário-executivo substituto do Ministério da Saúde, Élcio Franco, apresentou números de investimentos de recursos da pasta no enfrentamento à pandemia.

Segundo o dirigente do ministério, foram repassados desde o início do ano até o momento 41,3 bilhões de reais a Estados e municípios pela pasta, sendo 7,7 bilhões de reais para uso exclusivo no enfrentamento à Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

“Lembro que, com esse recurso, é um reforço para que Estados e municípios, de acordo com as suas necessidades e a realidade local, invistam na contratação de pessoal, na aquisição de equipamentos, medicamentos e insumos, para poder enfrentar da melhor forma a Covid, seja ampliando estruturas hospitalares, ampliando a infraestrutura existente ou melhorando a capacidade de enfrentamento”, informou.

O Ministério da Saúde não respondeu de imediato a um questionamento enviado por email sobre a diferença nos valores citados pelo MPF e aqueles apresentados pelo secretário-executivo substituto.

Ex-ministro da saúde Dr Luiz Henrique Mandeta

Reportagem de Ricardo Brito

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Croquete de mandioca com carne: petisco saboroso e prático
Politicos
Vai vendo Brasil!
Religiosos
Padre é preso por desviar dinheiro da igreja para orgias gays e drogas
Brasil e Mundo
Covid-19: Brasil registra 19,4 mil casos e 699 mortes em 24h
Justiça
STF decide se os estados devem pagar hospitais pela tabela SUS
Geral
Anatel aprova leilão da exploração do acesso móvel na tecnologia 5G
Inclusão
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência
Campo Grande
Preso em ação contra corrupção em MS era o 'braço direito' do ex-prefeito e 'quem assinava os cheques', diz polícia
Operação Policial
Polícia Federal faz operação para combater fraude no INSS do Amazonas
Campo Grande
Ameaça de delação de Gilmar Olarte causa 'espanto', afirma procurador-chefe do MP