Menu
Busca Sáb, 23 de janeiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Polícia Federal

PF faz operação contra fraudes em contratos de terceirização no Rio

São cumpridos 5 mandados de prisão preventiva no Rio e em Minas Gerais

14 maio 2020 - 09h00Por Agência Brasil-EBC
 
 
(Brasília - DF, 13/05/2020) Audiência com Luís Roberto Barroso, Ministro do Supremo Tribunal Federal; e Edson Fachin, Ministro do Supremo Tribunal Federal.
Foto: Marcos Corrêa/PR
© Marcos Correa/PR

Ministros levam a Bolsonaro convite para posse no TSE

A solenidade está marcada para o dia 25 de maio

Publicado em 13/05/2020 - 13:30 Por Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, hoje (13), em seu gabinete, no Palácio do Planalto, o presidente eleito do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e o vice-presidente eleito, ministro Luiz Edson Fachin. Eles levaram ao presidente o convite para a posse na Corte, que acontecerá no próximo dia 25 de maio.

Para respeitar a recomendação de distanciamento social em razão da pandemia da covid-19, o TSE informou que o evento será realizado com uma mesa virtual, para a qual serão convidados os representantes dos três poderes.

Hoje pela manhã, na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre a realização das eleições municipais em outubro deste ano, Bolsonaro disse que o assunto está fora da sua alçada. “Já tenho problema demais para me meter mais nesse”.

Devido às mudanças causadas no país por causa do novo coronavírus (covid-19), há dúvidas se as eleições deste ano estão garantidas. Em uma conversa virtual com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), no início do mês, o ministro Barroso admitiu que a data do pleito, cujo primeiro turno está marcado para 4 de outubro, pode mudar.

Segundo o próximo presidente do TSE, a decisão deve ser pautada por parâmetros sanitários e não políticos. “Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são um rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há um risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”, disse Barroso, que assumirá o comando da Corte eleitoral no lugar da ministra Rosa Weber.

Como a data do pleito – primeiro final de semana de outubro – está prevista na Constituição Federal, qualquer alteração nesse sentido terá que ser feita pelo Congresso Nacional.

Barroso pretende ter uma definição sobre o assunto em junho. É que nesse mês precisam ser feitos os testes nas urnas eletrônicas. Caso isso não seja possível, ele pretende se reunir com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para que uma emenda constitucional estabeleça um novo calendário.

Edição: Fernando Fraga

racismo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Covid 19 em MS
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
Alimentação
Governo federal se compromete com isenção de exportações para o PMA
Educação
O que é preciso saber para o segundo dia do Enem
Campo Grande
Marquinhos Trad cobra impostos e taxas da população de Campo Grande e não realiza serviços públicos.
Vacina
Fiocruz libera neste sábado distribuição de vacina aos estados
Tempo e temperatura
Meteorologia prevê sábado com pancadas de chuva e máxima de 33°C
Nioaque
Prefeito de Nioaque é o primeiro a ser investigado por tomar vacina destinada a indígenas
Judiciário
Em posse do TJMS, Reinaldo Azambuja destaca importância do Poder Judiciário no combate à pandemia
Vacina
Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Brasíl
Número de casos de covid-19 chega a 8,75 milhões no Brasil Doença já fez mais de 215 mil vítimas