Menu
Busca Qua, 03 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
Pirâmide

Pirâmide do Bitcoin cai nas garras do MPE e empresas tomam batida da polícia

17 abril 2018 - 09h37Por Alcides Bernal
Investigadores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), braço forte do MPE (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) cumprem nesta manha oito mandatos de busca e apreensão, expedidos pela Vara de Direitos Difusos e Coletivos de Campo Grande. 

A ação atende pedido do MPE protocolado na 43ª Promotoria de Justiça do Consumidor, cujo foco é combater a formação fraudulenta de pirâmide financeira por meio do fornecimento de suposto serviço de ?mineração de bitcoins?, informou a assessoria de imprensa da instituição.

Os mandados foram cumpridos, dentre outros locais, nas sedes das empresas Mineworld, Bit Ofertas e Bitpago, em Campo Grande e São Paulo, além das residências dos respectivos sócios.

Cícero Saad, um dos responsáveis pelo negócio (fotografia) integra a relação dos investigados.

Daqui a pouco mais informações

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tempo e temperatura
Restante da semana terá aumento de nebulosidade e mudanças no tempo
Pandemia
Brasil registra 1.726 mortes pela COVID em 24 horas e volta a bater recorde
País enfrenta o pico da crise causada pelo novo coronavírus, com colapso na saúde em vários estados
Congresso Nacional Brasileiro
Covid-19: Câmara e Senado aprovam projeto para compra de vacinas por estados
Judiciário
Ministro do STJ anuncia aposentadoria durante sessão
Brasíl
STF rejeita denúncia contra parlamentares do PP
Interior
Em breve, população de Amambai poderá contar com a universalização da coleta e o tratamento do esgoto
Novo Coronavirus
Com mais 20 mortes, MS já perdeu 3.350 para a Covid-19
MS
Agepan publica Portaria que institui Termo de Ajustamento de Conduta no transporte rodoviário
Covid 19
MS tem mais de 183 mil casos confirmados e 3,3 mil mortes
Reação contra deputados
"A covardia dos deputados estaduais é bizarra, multar quem tomar ou aplicar a vacina? A vida e saúde é direito constitucional e dever do estado", disse Alcides Bernal (PP).