Menu
Busca Ter, 14 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
justiça

Advogados alegam que Maluf corre risco de ficar cego e pedem liberdade

26 março 2018 - 08h54Por Redação Notícias VIP
A defesa do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) voltou a pedir liberdade para o parlamentar ao Supremo Tribunal Federal (STF), alegando que ele corre risco de ficar cego. De acordo com os advogados, um relatório oftalmológico "aponta a possibilidade de perda total da visão do único olho funcional, caso não seja feito o devido tratamento que, encarcerado, o paciente não tem à sua disposição". A defesa também admite a possibilidade de prisão domiciliar. As informações são do jornal O Globo.

Maluf está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, desde dezembro do ano passado após decisão do STF. Na Corte, o ministro Dias Toffoli é relator do pedido de liberdade do deputado.

O documento anexado pela defesa alega que Maluf perdeu a visão do olho direito em abril de do ano passado, enquanto o olho esquerdo ?apresenta também degeneração macular e pode rapidamente desencadear quadro irreversível com perda da visão do seu olho único?.

No pedido, a defesa volta a citar outros motivos para pedir a liberdade, como "idade avançadíssima" de 86 anos, doenças cardíacos, câncer de próstata, diabetes e hérnia de disco.

"Não fosse suficiente, o caso conta ainda com fato novo extremamente grave e relevante, isto é, a recomendação médica da necessidade de avaliação macular trimestral em Paulo Maluf, sob o risco da perda da visão do único olho ainda funcional do ora paciente. Em outras palavras, Excelência, o quadro de saúde está piorando, agora também, no aspecto oftalmológico", escreveram os advogados Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, Roberta Cristina Ribeiro de Castro Queiroz, Marcelo Turbay Freiria, Liliane de Carvalho Gabriel, Hortência Monte Vicente Medina, Ricardo Tosto de O. Carvalho, Jorge Nemr, Vítor Souza Sampaio e Patrícia Rios Salles de Oliveira.

Em fevereiro, a defesa apresentou recurso, que foi levado para o plenário virtual (quando os ministros não se encontram e apenas publicam seus votos no sistema da corte) pelo relator da ação penal, ministro Edson Fachin. Em 2 de março, no entanto, o ministro Dias Toffoli pediu vista, o que não permitiu a conclusão do julgamento.

A Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal (Sesipe), ligada à Secretaria de Segurança Pública, informou que não foi notificada oficialmente pela defesa de Maluf nem pela Vara de Execuções Penais (VEP) sobre o relatório oftalmológico citado pelos advogados. O órgão alega, ainda, que oferece atendimento médico e odontológico indistintamente a todos os detentos.
RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Causa repugnância a irresponsável conversinha desse prefeito sobre medicamento reprovados pela medicina.
Brasíl
Justiça determina quebra de sigilo bancário da Backer
Política
Governo vai enviar PL com penas mais rígidas para violência sexual
Saúde
Covid-19: Brasil chega a 72,8 mil óbitos e 1,88 milhão de casos
Brasília
Defesa aciona PGR contra Gilmar Mendes por ministro ter associado Exército a genocídio
Saúde
Crise do coronavírus pode ficar "pior e pior e pior", alerta OMS Reuters Staff
Brasíl e Mundo
Estudante de veterinária levou uma picada da terrível naja tinha outras cobras exóticas
Brasíl
Mulher de Queiroz se entrega e cumprirá prisão domiciliar com marido no Rio
Educação
Bolsonaro nomeia pastor Milton Ribeiro como ministro da Educação
Esporte
Natália Gaudio defende maior longevidade para atletas brasileiras