Menu
Busca Sex, 22 de janeiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Brasíl e Mundo

Bolsonaro critica decisão do STF que barrou Ramagem e ressalta independência dos Poderes

29 abril 2020 - 17h01Por Plantão NV

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira a decisão liminar tomada mais cedo pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes que barrou a posse do delegado Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal, e ressaltou a independência entre os Poderes.

 
 
Bolsonaro cumprimenta Ramagem durante posse como chefe da Abin 11/7/20109 REUTERS/Adriano Machado

Em discurso na cerimônia de posse dos novos titulares da Justiça e da Advocacia-Geral da União, no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que Ramagem foi impedido de tomar posse por uma decisão monocrática de um ministro do Supremo, sem citar nominalmente Moraes.

Na liminar, Moraes alegou que haveria indícios de que, com a posse de Ramagem, Bolsonaro poderia interferir politicamente na PF, e citou as relações próximas entre o indicado para comando a Polícia Federal e a família do presidente.

Ao pedir demissão do cargo de ministro da Justiça na semana passada, o ex-juiz Sergio Moro acusou o presidente de desejar trocar o comando da PF para interferir em investigações.

 

Bolsonaro exaltou as qualidades de Ramagem. “É uma pessoa que eu conheci no primeiro dia após o fim do segundo turno, que foi escolhido pela Polícia Federal, pelo governo anterior, como homem de elite, homem honrado, homem com vasto conhecimento, um homem à altura de representar e de ser o chefe da segurança do chefe da Presidência da República”, disse.

“Creio ser essa uma missão honrada ao senhor Ramagem. Eu gostaria de honrá-lo no dia de hoje dando-lhe posse como diretor-geral da Polícia Federal”, completou.

O presidente sinalizou que ainda vai buscar indicar Ramagem para o comando da PF, embora tenha oficialmente desistido da nomeação dele.

Após a derrota no STF, o governo tornou sem efeito a escolha do delegado para o comando da PF e determinou que ele voltasse a ser diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

 

“Eu tenho certeza de que esse sonho meu, mais dele, brevemente se concretizará para o bem da nossa Polícia Federal e do nosso Brasil”, afirmou o presidente, bastante aplaudido.

Bolsonaro afirmou que respeita o Judiciário e suas decisões, mas destacou que acima de tudo respeita a “nossa Constituição”. Ele defendeu que os três Poderes têm de atuar de forma harmônica, independente e respeito entre si.

Por Reuters/Ricardo Brito

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Deputado federal Arthur Lira (PP) estará em Campo Grande para falar com Reinaldo Azambuja (PSDB) e os 8 deputados federais.
Meteorologia
Nebulosidade e pancadas de chuva são esperadas para esta quinta-feira
Operação Santa
PF fecha empresa de turismo religioso que transportava drogas junto com fiéis
Brasíl
Brasil registra 1.340 mortes por covid-19 em 24h
Campo Grande
Reinaldo Azambuja faz balanço do primeiro dia de vacinação no MS
Covid 19 em MS
Mesmo com vacina, população deve seguir em alerta sobre a Covid-19, afirma Reinaldo Azambuja
Tempo
Com previsão de mais chuva, Defesa Civil orienta população que mora em áreas de risco
Senado da República
Simone (MDB-MS), Kajuru (Cidadania-GO), Major Olímpio (PSL-SP) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) querem a presidência do Senado
Campo Grande
Região Norte da capital reclama do prefeito MarquinhosTrad (PSD)
Brasíl
Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresa