Menu
Busca Qua, 05 de maio de 2021
(67) 9.9928-2002
LAVA JATO

Collor não quer depor a favor de petista; Vander deve ser julgado na Lava Jato só no 2º semestre

Por Carol Assis
O Supremo Tribunal Federal só deverá iniciar o julgamento da primeira ação penal contra o deputado federal Vander Loubet (PT) na Operação Lava Jato no segundo semestre deste ano. A última das 24 testemunhas de defesa do petista só será ouvida no final de junho deste ano. O depoente mais polêmico é o ex-presidente da República e atual senador, Fernando Collor de Mello (PTC), que não queria depor a favor do sul-mato-grossense, mas foi obrigado.

Neste ação penal, Vander é acusado de ser beneficiado do suposto esquema de desvio de recursos montado na BR Distribuidora, que teria lhe rendido propina de R$ 1,028 milhão. Ele responde junto com o cunhado, Ademar Chagas da Cruz, e o empresário Pedro Paulo Bergamaschi de Leoni Ramos.

Veja mais:
Pressionado por sentença na Lava Jato, STF ouve testemunhas contra Vander em 4 estados
O STF já concluiu a coleta dos depoimentos das testemunhas de acusação. Nesta sexta-feira, a corte começa a ouvir 24 testemunhas de defesa distribuídas em sete estados brasileiros.

O primeiro a ser ouvido será Collor, que pediu para ser substituído. O senador, que é réu por integrar a mesma organização criminosa em outro processo, alegou que não poderia se autoincriminar. No entanto, Vander insistiu em seu depoimento.

O ministro Edson Fachin, do STF, acatou o pedido do Valeriano Fontoura, e determinou a notificação de Collor, que foi convocado para prestar depoimento com outras duas testemunhas na sexta-feira em Brasília (DF).

Fachin negou o pedido do petista para substituir três testemunhas: Eledir Batista de Souza por Paulo Eduardo Machado Nascimento; Fabiane Miranda Avancini por Lucilene Pereira Prado e Alexandre Frozino pelo professor Ido Michels. O ministro alegou que não houve motivo para substituir os depoimentos e o pedido ocorreu fora do prazo legal.

Os últimos depoimentos serão coletados na Justiça Federal de Campo Grande, onde nove pessoas serão ouvidas nos dias 28 e 29 de junho. O deputado estadual Cabo Almi (PT), que não se manifestou sobre o direito de definir o horário e local para ser ouvido, teve o dia do depoimento determinado por Fachin.

Somente após a conclusão dos depoimentos, o STF deverá abrir prazo para as alegações finais da defesa e da acusação. Isso significa, na prática, que o deputado só será julgado por corrupção passiva no segundo semestre.

O maior risco para o sobrinho do deputado federal Zeca do PT é que o julgamento ocorra em plena campanha eleitoral, prevista para o período de 15 de agosto ao primeiro domingo de outubro.

Como a Lava Jato vem obtendo ampla cobertura dos meios de comunicação, Vander corre risco de ter grande desgaste político em plena campanha eleitoral e desfalcar o PT na luta por uma das duas vagas na Câmara dos Deputados.

Além disso, ele foi denunciado pelo suposto uso de ?caixa três? na campanha eleitoral de 2010. A denúncia foi protocolada no início do mês passado pela procuradora geral da República, Raquel Dodge, e o relator é o ministro Celso de Mello.

Vander vem ressaltando que provará a inocência no decorrer do julgamento das duas ações.
 24 testemunhas de Vander

Sexta-feira, 4 de abril, em Brasília (DF), a partir das 14h:
Fernando Collor de Mello (PTC)

Everardo Moreira Lima;

Valmir Jacinto Pereira Júnior.

10 de maio, Goiânia (GO), 10h:
Irapuan Costa Lima Júnior.

18 de maio, Cuiabá (MT), 9h:
 Simá Freitas de Medeiros.

25 de maio, Rio de Janeiro, 10h:
 Anduarte de Barros Duarte Filho;
 
Francisco Pitella;

 Roberto Hesketh.

8 de junho, Londrina (PR), 10h:
 Luiz Meneguel.


18 de junho, Curitiba (PR), 14h:
 Kaioá Gomes.

21 de junho, São Paulo (SP), 10h:
João da Rocha Lima;

Roberto Melega Burin;

 João Mauro Boschiero;

 Carlos Daniel Coradi.

28 e 29 de junho, Campo Grande (MS), 10h:
 Alexandre Frozino;

Fabiane Karina Miranda Avancini;

 Élvio Borges Garcês;

 Roseli da Cruz Loubet;

Cabo Almi (PT);

 Ronaldo Franco;

Homero Figlionline;

 Eledir Batista de Souza;

 Ralph Marques.
violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
Senadores comemoram liminar do STF que obriga governo a realizar o censo
Brasíl
Publicada MP de flexibilização trabalhista para enfrentamento da crise
Polícia
Polícia Federal faz operação contra tráfico de drogas em cinco estados
Brasília
Aliada de Bolsonaro tem ligação com juiz que tentou tirar Renan da CPI da Covid
Esporte
Bahia goleia por 5 a 0 na Sul-Americana Tricolor de Aço vence o Guabirá, da Bolívia
Economia
Governo pagará R$ 418 milhões em salários no Dia do Trabalhador
Esporte
Libertadores: Santos é superado pelo Boca na Bombonera
Campo Grande
Há muita sujeira em Campo Grande, dizem moradores do Duque de Caxias
Esporte
Internacional se recupera na Libertadores com vitória sobre Táchira
Brasíl
Petrobras registra queda de 5% na produção no 1º trimestre do ano