Menu
Busca Ter, 22 de setembro de 2020
(67) 9.9928-2002
LAVA JATO

Collor não quer depor a favor de petista; Vander deve ser julgado na Lava Jato só no 2º semestre

Por Carol Assis
O Supremo Tribunal Federal só deverá iniciar o julgamento da primeira ação penal contra o deputado federal Vander Loubet (PT) na Operação Lava Jato no segundo semestre deste ano. A última das 24 testemunhas de defesa do petista só será ouvida no final de junho deste ano. O depoente mais polêmico é o ex-presidente da República e atual senador, Fernando Collor de Mello (PTC), que não queria depor a favor do sul-mato-grossense, mas foi obrigado.

Neste ação penal, Vander é acusado de ser beneficiado do suposto esquema de desvio de recursos montado na BR Distribuidora, que teria lhe rendido propina de R$ 1,028 milhão. Ele responde junto com o cunhado, Ademar Chagas da Cruz, e o empresário Pedro Paulo Bergamaschi de Leoni Ramos.

Veja mais:
Pressionado por sentença na Lava Jato, STF ouve testemunhas contra Vander em 4 estados
O STF já concluiu a coleta dos depoimentos das testemunhas de acusação. Nesta sexta-feira, a corte começa a ouvir 24 testemunhas de defesa distribuídas em sete estados brasileiros.

O primeiro a ser ouvido será Collor, que pediu para ser substituído. O senador, que é réu por integrar a mesma organização criminosa em outro processo, alegou que não poderia se autoincriminar. No entanto, Vander insistiu em seu depoimento.

O ministro Edson Fachin, do STF, acatou o pedido do Valeriano Fontoura, e determinou a notificação de Collor, que foi convocado para prestar depoimento com outras duas testemunhas na sexta-feira em Brasília (DF).

Fachin negou o pedido do petista para substituir três testemunhas: Eledir Batista de Souza por Paulo Eduardo Machado Nascimento; Fabiane Miranda Avancini por Lucilene Pereira Prado e Alexandre Frozino pelo professor Ido Michels. O ministro alegou que não houve motivo para substituir os depoimentos e o pedido ocorreu fora do prazo legal.

Os últimos depoimentos serão coletados na Justiça Federal de Campo Grande, onde nove pessoas serão ouvidas nos dias 28 e 29 de junho. O deputado estadual Cabo Almi (PT), que não se manifestou sobre o direito de definir o horário e local para ser ouvido, teve o dia do depoimento determinado por Fachin.

Somente após a conclusão dos depoimentos, o STF deverá abrir prazo para as alegações finais da defesa e da acusação. Isso significa, na prática, que o deputado só será julgado por corrupção passiva no segundo semestre.

O maior risco para o sobrinho do deputado federal Zeca do PT é que o julgamento ocorra em plena campanha eleitoral, prevista para o período de 15 de agosto ao primeiro domingo de outubro.

Como a Lava Jato vem obtendo ampla cobertura dos meios de comunicação, Vander corre risco de ter grande desgaste político em plena campanha eleitoral e desfalcar o PT na luta por uma das duas vagas na Câmara dos Deputados.

Além disso, ele foi denunciado pelo suposto uso de ?caixa três? na campanha eleitoral de 2010. A denúncia foi protocolada no início do mês passado pela procuradora geral da República, Raquel Dodge, e o relator é o ministro Celso de Mello.

Vander vem ressaltando que provará a inocência no decorrer do julgamento das duas ações.
 24 testemunhas de Vander

Sexta-feira, 4 de abril, em Brasília (DF), a partir das 14h:
Fernando Collor de Mello (PTC)

Everardo Moreira Lima;

Valmir Jacinto Pereira Júnior.

10 de maio, Goiânia (GO), 10h:
Irapuan Costa Lima Júnior.

18 de maio, Cuiabá (MT), 9h:
 Simá Freitas de Medeiros.

25 de maio, Rio de Janeiro, 10h:
 Anduarte de Barros Duarte Filho;
 
Francisco Pitella;

 Roberto Hesketh.

8 de junho, Londrina (PR), 10h:
 Luiz Meneguel.


18 de junho, Curitiba (PR), 14h:
 Kaioá Gomes.

21 de junho, São Paulo (SP), 10h:
João da Rocha Lima;

Roberto Melega Burin;

 João Mauro Boschiero;

 Carlos Daniel Coradi.

28 e 29 de junho, Campo Grande (MS), 10h:
 Alexandre Frozino;

Fabiane Karina Miranda Avancini;

 Élvio Borges Garcês;

 Roseli da Cruz Loubet;

Cabo Almi (PT);

 Ronaldo Franco;

Homero Figlionline;

 Eledir Batista de Souza;

 Ralph Marques.
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Paranaíba
Homem espanca mulher, em via pública, é visto por policial, que dá volta no quarteirão e prende o agressor
Brasíl
Nem Moro, Nem Azevedo, Nem Bolsonaro e nem Marito , eles todos não conseguiram dar garantias de segurança na fronteira" disse jornalista paraguaio.
Brasilia
Ao STF, Aras diz que decisão sobre reeleição de comandos da Câmara e Senado é assunto interno
Brasíl
Brasil acumula 4,55 milhões de casos e 137,2 mil mortes por covid-19
Rio Verde de Mato Grosso
Prefeito se envolve em confusão e foi filmado onde um outro homem aparece com arma na mão.
Brasíl
Agência Brasil explica o que é o Sistema S
Brasíl
Trabalhadores nascidos em dezembro recebem hoje crédito do FGTS Pagamento é feito por meio da conta poupança digital da Caixa
Brasíl
Fantástico: incêndio no Pantanal , investigação da PF e imagens de satélite indicam que a tragédia começou em 4 fazendas pertencente ao homem bomba da corrupção em Mato Grosso do Sul
Brasíl
Estudo da FGV aponta que pandemia provocou queda de renda de 20,1%
Nova Andradina
PRF apreende mais de 300 quilos de maconha dentro de veículo Renault, tipo scénic e prende traficantes no interior do MS