Menu
Busca Qua, 22 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Interior

Com obras na fase final, Maracaju terá nova maternidade ainda no 1.º semestre

05 fevereiro 2021 - 18h30Por AB/ PMS

Estão chegando na fase final as obras de construção da maternidade de Maracaju, que está sendo edificada em área anexa ao Hospital Municipal Soriano Corrêa da Silva. Com 88,82% da obra executada, atualmente estão sendo realizados os serviços finais de revestimento, pintura e piso. A previsão de entrega é junho próximo.

A nova unidade demanda um investimento de R$ 1,5 milhão, dos quais R$ 1 milhão são oriundos dos cofres estaduais e R$ 500 mil são recursos federais, provenientes de emenda do deputado federal licenciado Geraldo Resende, atualmente secretário de Estado de Saúde. O valor final deverá ser maior, porque a Prefeitura deverá firmar um aditivo com recurso próprio, para complementação da área externa da edificação, incluindo o estacionamento, área de convivência, iluminação, dentre outros.

Estrutura

O projeto da maternidade prevê uma edificação moderna, com 525,25 metros quadrados de área construída, contendo espaços para três salas pré e pós parto, com banheiro e jardim de inverno; três salas de enfermagem; duas salas pós-enfermagem com banheiro; um jardim de inverno coletivo, dois consultórios ginecológicos com banheiros; uma sala de mamografia; e uma sala de múltiplo uso.

O secretário Geraldo Resende avalia que a nova maternidade dará um salto de qualidade no atendimento às mamães e bebês do Município. Ele explica que a implantação da maternidade é resultado de uma parceria de trabalho com o governador Reinaldo Azambuja, a administração municipal e Câmara de Vereadores. "Maracaju atende várias cidades vizinhas e a estrutura atual já não comporta a demanda. Queremos oferecer mais qualidade no atendimento para os pequeninos e suas mamães", destaca.

Pronto socorro

Outra ação de Geraldo Resende para a saúde do município é a construção do Pronto Socorro (PS) em anexo do Hospital Soriano Corrêa da Silva, inaugurado em setembro do ano passado. A unidade possui 1,2 mil metros quadrados e 11 leitos de observação, além de toda a estrutura para atendimento de urgência e emergência.

A construção foi custeada com recursos de emendas parlamentares do então deputado federal Geraldo Resende e do então senador Waldemir Moka, além de contrapartida da Prefeitura Municipal de Maracaju, totalizando cerca de R$ 3 milhões em investimentos. Na parceria, o Governo do Estado entrou com a compra dos equipamentos fundamentais para o atendimento da população.

Foram repassados à Associação Beneficente de Maracaju, que administra o hospital, R$ 851 mil em recursos estaduais. Entre os equipamentos adquiridos estão um analisador automático para hematologia, cardioversor, eletrocautério e monitores multiparamétricos, entre outros.

Texto: Ricardo Minella/SES

Foto: Hosana de Lourdes

Deixe seu Comentário

Leia Também

Eleição 2022
Senado aprovou novo Código Eleitoral e vai à sanção presidencial.
Economia
Dólar fecha acima de R$ 5,30 após anúncio do Banco Central americano
CPI da Covid
CPI: diretor da Prevent Senior é acusado de mentir e passa à condição de investigado
Brasíl
Sem coligações, CCJ do Senado aprova PEC da reforma eleitoral
Polícia Federal
A Operação Apate cumpre mandados em São José dos Campos
Brasilia
CPI da Covid-19; início da sessão com "rasgação de seda" entre senadores da oposição tentando reverter a impressão negativa da briga causada por senadora e ministro
Brasília
Briga na CPI: presidente da CPi fala que Bolsonaro causa vergonha, senador Marcos Rogério rebate dizendo que a CPI da Covid que faz vergonha a muito tempo.
Tempo e temperatura
Primavera começa com tempo claro e ensolarado em Mato Grosso do Sul
Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.
CPI no Senado Federal
A diferença de pensamento entre os Ministros do STF, Carmen, Nunes Marques e Rosa Weber.
Ministros divergem sobre obrigação de convocados à CPI da Covid