Menu
Busca Dom, 01 de agosto de 2021
(67) 9.9928-2002
POLITICA

Conheça Davi Alcolumbre, do baixo-clero, aliado de Onyx e agora presidente do Senado

Parlamentar é um dos candidatos à presidência da Casa e viu sua estratégia anulada pelo Supremo

02 fevereiro 2019 - 20h00

Eleito presidente do Senado neste sábado (2), Davi Alcolumbre(DEM-AP), 41, integra desde 2003 o pelotão de congressistas do chamado "baixo clero", aqueles que têm nenhuma ou pouquíssima projeção nacional.

Nesta sexta-feira, ele presidiu a tensa sessão que, em uma manobra no regime interno, decidiu pelo voto aberto na eleição para a presidência da Casa. Na madrugada, porém, a decisão foi anulada pelo STF (Supremo Tribunal Federal). A eleição para o comando do Senado ocorreu com voto fechado.

Vereador em Macapá de 2001 a 2002, deputado federal de 2003 a 2014 e senador desde então, ele quase nunca participou de movimentações políticas de relevo.

Disputou ainda a prefeitura de Macapá, em 2012, e o governo do Amapá, em 2018, mas foi derrotado.

O maior feito político de sua carreira até então foi ter derrotado o candidato do ex-presidente José Sarney (MDB) em 2014 (Gilvam Borges, do MDB), tendo sido eleito senador.

Nos últimos meses, porém, Alcolumbre foi escolhido pelo articulador político do governo, Onyx Lorenzoni, como nome para tentar barrar a volta do até então favorito Renan Calheiros (MDB-AL), que já presidiu o Senado por quatro vezes. A mulher de Onyx foi assessora parlamentar de Alcolumbre.

Durante a campanha, ele evitou ao máximo o contato com a imprensa.

Nos seus 16 anos como congressista, Alcolumbre protagonizou algumas situações de típico "baixoclerismo", como a retirada de sua assinatura para a criação das CPIs dos Correios (caso do mensalão), em 2005, e de uma comissão que iria investigar contrato do Corinthians com a empresa MSI.

No primeiro caso, o recuo se deu em meio a pressão do Palácio do Planalto sobre parlamentares. No segundo, em meio a pressão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Em 2015, já senador, Alcolumbre continuou morando em apartamento funcional da Câmara mesmo estourado o prazo de devolução das chaves. À época, afirmou que o Senado não tinha imóvel disponível.

O senador declara ser comerciante como profissão, e ter curso superior incompleto de ciências econômicas. À Justiça Eleitoral, declarou patrimônio de R$ 770 mil.

 

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Por que Davi Alcolumbre (DEM-AP) assumiu a presidência interina do Senado? Alcolumbre é o único senador em meio de mandato que restou na Mesa Diretora do Senado. Ele é o terceiro suplente da mesa da última legislatura.

Alcolumbre poderia presidir a sessão que antecedeu a eleição e também ser candidato? O normativo do Senado define que o presidente da sessão deixará a cadeira “sempre que quiser participar ativamente dos trabalhos da sessão”. Alcolumbre não oficializou a candidatura enquanto presidia a sessão prévia à votação. Desse modo, conseguiu se manter no comando dos trabalhos.

A regra diz que o senador mais idoso deveria presidir a sessão? O regimento estabelece que na falta dos membros da mesa anterior, assumirá a Presidência o mais idoso entre os presentes. Porém Alcolumbre é membro da mesa anterior e, portanto, a regra não poderia ser aplicada.

A eleição para a presidência do Senado é feita em voto secreto? Sim. O artigo 60 do regimento determina que a eleição deve ser feita em “escrutínio secreto”.

Seria possível, sem manobra no regimento, que os senadores aprovassem em plenário o voto aberto? Pelo regimento, apenas se a votação fosse unânime, com a presença de ao menos três quintos dos membros da Casa. A decisão sobre voto aberto nesta sexta-feira (1º) não foi unânime –resultado de 50 votos a 2.

O Regimento Interno é sempre a palavra final no Senado? Não. Usualmente, parlamentares e partidos fecham acordos para mudar entendimentos ou a aplicação de regras do regimento. 

O que definiu o Supremo Tribunal Federal?  O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, decidiu na madrugada deste sábado (2) anular a manobra do plenário do Senado pelo voto aberto na eleição para a presidência da Casa e determinou que a votação seja secreta.

 

 

 

 

fonte:folhadesp 

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana