Menu
Busca Qua, 16 de outubro de 2019
(67) 9.9928-2002
Justiça

Em ação contra Cabral e empresários, MP cobra indenização de R$ 72 milhões

28 março 2018 - 12h53Por Redação Notícias VIP
O ex-governador do Rio Sérgio Cabral, cinco empresários de ônibus e a Federação das Empresas de Transporte de Passageiro (Fetranspor) são alvo de ação do Ministério Público estadual por improbidade administrativa.

O processo está na 10ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. No pedido, de acordo com informações do portal G1, o promotor Alberto Camargo pede a indisponibilidade dos bens dos acusados, além do ressarcimento aos cofres públicos de, no mínimo, R$ 72 milhões.

Segundo a acusação, as isenções de impostos às empresas de ônibus, concedidas pelo então governador, em 2014, causaram prejuízo ao Estado fluminense. Naquele ano, Cabral assinou o Decreto 44.568, de 17 de janeiro, e autorizou desconto de 50% no IPVA para as empresas.

Os fatos foram registrados pelo Ministério Público Federal (MPF) na denúncia da Operação Ponto Final. Entre os documentos levantados pelos procuradores constam planilhas que indicam que saiu do "caixa dois" da Fetranspor o pagamento do bônus de R$ 13 milhões ao Poder Executivo do Rio. A defesa do ex-governador Sérgio Cabral ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Vacina contra o câncer de mama e de ovário deve ficar pronta em oito anos
Nordeste e suas praias
Barreiras instaladas para conter óleo são levadas pelo mar em SE
Ceará
Fortalezenses dão lição de solidariedade em resgate de vítimas de prédio que desabou
Internacional
Hong Kong: protestos obrigam presidente a discursar a portas fechadas
Campo Grande
Marcos Trad deixa escola rodeada de lixo
Coreia do Norte
Kim Jong-un passeia a cavalo em local sagrado e gera boatos sobre mudanças políticas
Politicagem
"Não tem lado A ou lado B", diz Bolsonaro sobre situação do PSL
Brasil e mundo
Vídeo mostra assaltante beijando idosa durante roubo no Piauí: ‘não quero seu dinheiro’
Após vacilo, turma se consolida como implacável e mantém chefes de milícia atrás das grades
STF
Lula, Zé Dirceu, Eduardo Cunha soltos… O que está em jogo no julgamento do STF