Menu
Busca Qui, 25 de fevereiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Prisão

Em carta, Lula se diz "indignado" e volta a desafiar Lava Jato

17 abril 2018 - 05h20Por Redação Notícias VIP
Preso em Curitiba desde o último dia 7 de abril para cumprir doze anos e um mês de prisão a que foi condenado na Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva endereçou uma mensagem à militância que o apoia na qual se diz "indignado" e volta a desafiar a força-tarefa da Lava Jato, o juiz federal Sergio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a provarem sua culpa no caso do tríplex do Guarujá.

Na carta aos militantes do PT e de movimentos sociais e sindicais que estão acampados em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense, onde está detido, Lula afirmou ter "certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena".

"Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi. Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado", diz o ex-presidente no texto, divulgado também em suas contas no Facebook e Twitter.

A mensagem foi divulgada por Lula um dia antes da vistoria que senadores integrantes da Comissão de Direitos Humanos do Senado farão na cela onde o petista está preso. A visita, marcada para esta terça-feira (17), foi autorizada nesta segunda-feira pela juíza Carolina Moura Lebbos, responsável pela execução penal do ex-presidente.

A lista de parlamentares apresentada à magistrada é composta de nomes alinhados ao petista: Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Regina Sousa (PT-PI), Angela Portela (PT-RR), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN), Lindbergh Farias (PT-RJ), Telmário Mota (PTB-RR), Paulo Paim (PT-RS), Jorge Viana (PT-AC) e Paulo Rocha (PT-PA).

Ainda nesta segunda-feira, os organizadores da mobilização nas imediações da sede da PF em Curitiba participaram de uma reunião com representantes da Secretaria de Segurança do Paraná, da prefeitura de Curitiba e da Polícia Militar, entre outros, na qual se definiu que o acampamento de apoio a Lula mudará de lugar. Permanecerão nas proximidades da Superintendência da Polícia Federal apenas quatro tendas, em um terreno particular, com estrutura para dar suporte aos manifestantes.

A secretaria e os militantes do PT e movimentos aliados, contudo, divergem em relação ao local para onde o acampamento será transferido. Segundo o governo paranaense, o local determinado para pernoite dos militantes é o Parque do Atuba, a 3 quilômetros da sede da PF. Segundo os organizadores da mobilização, a nova localidade será definida amanhã, ?de acordo com as possibilidades legais oferecidas?.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
STJ desmembra processo para acelerar julgamento de Reinaldo por corrupção
Com decisão, os outros 23 denunciados com o governador de Mato Grosso do Sul serão julgados pela Justiça Estadual
Covid 19 em MS
Número de pacientes contaminados pelo novo coronavírus continua crítico
Covid 19 em MS
Com um mês do início da campanha de vacinação contra a Covid-19, idosos comemoram imunização
Agricultura
La Niña pode se estender até a primavera e os efeitos impactam no agro
Assistência Social
‘MS é referência para o país na política de assistência social e direitos humanos’ diz secretária Nacional de Proteção Global
Corrupção
Ex-desembargador é preso no Cocó no caso de venda de sentenças
Segundo a corporação, o magistrado já foi condenado em definitivo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) na Operação Expresso 150, que apura esquema de venda de liminares durante plantões do TJ-CE
Interior
Operação tapa-buraco na MS-040 deve terminar na próxima semana
Interior
Com mais quatro frentes de obras, Estado soma mais de R$ 350 milhões de investimentos na infraestrutura de Dourados
Sangue
Quem já vacinou contra covid-19, pode doar sangue entre dois e sete dias
Mato Grosso do Sul
Sábado com céu de brigadeiro em Mato Grosso do Sul