Menu
Busca Ter, 20 de agosto de 2019
(67) 9.9928-2002
Eleições na Argentina

FHC aposta em Mauricio Macri e perde na Argentina

O ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso disse que espera que a Argentina opte por continuar o atual curso político. O resultado das prévias realizadas neste domingo, em que Macri sofreu derrota acachapante, mostra que FHC é pé frio

12 agosto 2019 - 18h30

247 - O ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso disse que espera que a Argentina opte por continuar o atual curso político. O resultado das prévias realizadas neste domingo, em que Macri sofreu derrota acachapante, mostra que FHC é pé frio.   

O ex-presidente participará no dia 22 de agosto em Buenos Aires, em uma nova edição do Seminário Democracia e Desenvolvimento, organizado pelo jornal Clarín, que também incluirá o presidente Mauricio Macri e o candidato presidencial Alberto Fernández.   

Em entrevista ao jornal argentino, FHC discorre sobre a situação brasileira e opina sobre o processo político no país vizinho.  "

Sou muito argentinófilo. Eu escrevi, deixei claro em meus livros, os jornais sobre minha presidência. Sou muito favorável à integração e considero a Argentina um grande país, com muita força. Eu conheço Macri. Esteve aqui. Eu acho que ele tem uma noção de como as coisas são.

A Argentina infelizmente tem um populismo muito profundo. E novamente agora, com Cristina (Kirchner) como uma opção. Para mim, não é uma boa opção. A Argentina tem vantagens comparativas muito grandes com outros países da região. Espero que não haja retorno ao populismo, porque o populismo anestesia as pessoas. Isso faz as pessoas acreditarem que está indo bem e está dando errado. A Argentina precisa consolidar forças que não são populistas.

A Argentina, já no final do século XIX, era um país importante e rico. Ele avançou mais que tudo e de repente parou. Em termos comparativos com a região da América Latina, possui instituições arraigadas. Uma época terrível do regime militar passou e acho que o país aprendeu a lição. Eu confio que continuará na direção atual. Eu espero. O equilíbrio da nossa região depende da Argentina e do Brasil estarem no caminho certo e se entenderem".

Segundo informações, Brasil 247.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Caso do Brumadinho
CVM abre inquérito sobre rompimento da barragem em Brumadinho
Roda Viva
"Moro vem perdendo força no governo", diz Alexandre Frota
Política
Witzel consulta Mourão sobre reestruturação do comando da PMRJ
Tempo
Frente fria avança em MS e Inmet faz alerta sobre queda brusca de temperatura
Economia
Dólar volta a subir e fecha no maior valor em três meses
Meio Ambiente
Bruxelas plantará uma árvore para cada recém-nascido
Luta pela democracia
Brasileira que participou de protestos em Hong Kong diz que ameaça chinesa não vai parar manifestantes
Fênomeno raro
FUMAÇA DE QUEIMADAS NA AMAZÔNIA ESCURECE CIDADES DO CENTRO-OESTE E SUDESTE
Além de política, até no entretenimento
Conflitos em Hong Kong chegam ao cinema com Jackie Chan e Mulan
Fora de sí
Jovem atropela padrasto, sobe no telhado e ameaça se matar