Menu
Busca Sex, 13 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Eleições na Argentina

FHC aposta em Mauricio Macri e perde na Argentina

O ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso disse que espera que a Argentina opte por continuar o atual curso político. O resultado das prévias realizadas neste domingo, em que Macri sofreu derrota acachapante, mostra que FHC é pé frio

12 agosto 2019 - 18h30

247 - O ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso disse que espera que a Argentina opte por continuar o atual curso político. O resultado das prévias realizadas neste domingo, em que Macri sofreu derrota acachapante, mostra que FHC é pé frio.   

O ex-presidente participará no dia 22 de agosto em Buenos Aires, em uma nova edição do Seminário Democracia e Desenvolvimento, organizado pelo jornal Clarín, que também incluirá o presidente Mauricio Macri e o candidato presidencial Alberto Fernández.   

Em entrevista ao jornal argentino, FHC discorre sobre a situação brasileira e opina sobre o processo político no país vizinho.  "

Sou muito argentinófilo. Eu escrevi, deixei claro em meus livros, os jornais sobre minha presidência. Sou muito favorável à integração e considero a Argentina um grande país, com muita força. Eu conheço Macri. Esteve aqui. Eu acho que ele tem uma noção de como as coisas são.

A Argentina infelizmente tem um populismo muito profundo. E novamente agora, com Cristina (Kirchner) como uma opção. Para mim, não é uma boa opção. A Argentina tem vantagens comparativas muito grandes com outros países da região. Espero que não haja retorno ao populismo, porque o populismo anestesia as pessoas. Isso faz as pessoas acreditarem que está indo bem e está dando errado. A Argentina precisa consolidar forças que não são populistas.

A Argentina, já no final do século XIX, era um país importante e rico. Ele avançou mais que tudo e de repente parou. Em termos comparativos com a região da América Latina, possui instituições arraigadas. Uma época terrível do regime militar passou e acho que o país aprendeu a lição. Eu confio que continuará na direção atual. Eu espero. O equilíbrio da nossa região depende da Argentina e do Brasil estarem no caminho certo e se entenderem".

Segundo informações, Brasil 247.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Corguinho
Festa de Som Automotivo terminou na Delegacia de Polícia Civil
Brasil
Sonia Guajajara: Bolsonaro é um perigo para o planeta
Crime
Avô de 85 anos foi preso por estuprar netos de 4 e 6 anos
Ponta Porã
Execução sumária na fronteira.
Brasília
Ministro da Justiça não obteve sucesso na abordagem: ex-juíza teve mandato de senadora cassado
Campo Grande
Surgem as Tradicionais favelas na capital
Brasília-DF
Moro demonstra uma vaidade desproporcional ao cargo de Ministro da Justiça
Educação
À Comissão de Educação da Câmara dos Deputados ele disse que há "plantações de maconha" e "laboratórios de droga" nas universidades federais; o G1 mostrou que os casos citados foram investigados e não geraram processos contra as instituições.
Polícia
Amor de filho, virou presepada e prisão
Política
Juiz de Brasília suspendeu a decisão do PSL