Menu
Busca Sex, 30 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002

Folha dá um tapa em Jair Bolsonaro e mostra que não tem medo

24 fevereiro 2019 - 09h50

Jair Bolsonaro fez os mais variados tipos de ameaças e xingamentos à Folha de S. Paulo.

Seus aliados lançaram uma guerra virtual ao jornal, disseminando os mais diferentes tipos de mentiras.

Bolsonaro classificou a Folha como um jornal de Fake News.

Disse que o jornal tinha acabado. E que não ganharia publicidade oficial.

Seu filho Carlos chamava o jornal de “Foice de São Paulo” para afirmar que seria uma publicação de esquerda.

Um dos motivos dessa raiva foi uma reportagem sobre o uso clandestino do WhatsApp durante a campanha.

Nesta domingo, o jornal deu um tapa elegante – e mostrou que está lixando com as ameaças.

Anunciou que o Grande Prêmio da Folha, que anualmente escolhe seus melhores repórteres, iria para Patrícia Campos Mello, responsável pela reportagem.

A repórter Patrícia Campos Mello foi um dos maiores alvos das milícias digitais de Jair Bolsonaro durante as eleições.

Recebeu centenas de Fake News com montagens fotográficas, como se vê na imagem abaixo.

Chegaram a vazar seu número de celular.

Motivo: seu reportagem de como se usou clandestinamente o WhatsApp para ajudar candidatura de Bolsonaro.

Patricia foi escolhida para ganhar o Grande Prêmio de Jornalismo.

Aqui a justificativa do jornal:

Ameaças de agressão e linchamento virtual por um lado. Por outro, mensagens de apoio e buquês de flores entregues na redação. Essas foram algumas das consequências para a jornalista Patrícia Campos Mello após a publicação da reportagem “Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp”. O texto acaba de vencer o Grande Prêmio Folha de Jornalismo 2018.

“A importância da matéria”, diz Mello, “foi revelar como são as campanhas de manipulação da opinião pública com fake news”. Reportagens subsequentes mostraram novos detalhes, como um contrato oferecido a um presidenciável para disparos em massa pelo serviço de mensagens.

Outros resultados foram o banimento das contas das agências citadas no texto e a abertura de três investigações. “As ameaças foram assustadoras, mas a solidariedade com meu trabalho de jornalista foi muito positiva”, avalia Mello.

 

fonte:catracalivre

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana