Menu
Busca Ter, 24 de novembro de 2020
(67) 9.9928-2002
Política

Governador, partidos e bancada do Maranhão protestam contra piada homofóbica de Bolsonaro

Em visita oficial ao Maranhão nesta quinta-feira (29), presidente disse ter virado 'boiola' após tomar o refrigerante típico do estado, de coloração rosa.

29 outubro 2020 - 22h00Por G1

A bancada do Maranhão no Congresso e o governador Flávio Dino (PCdoB) condenaram declarações do presidente Jair Bolsonaro em viagem ao estado nesta quinta-feira (29).

Bolsonaro fez uma piada homofóbica ao se referir aos maranhenses e a um refrigerante de cor rosa.

 

"Agora virei boiola, igual maranhense, é isso? [risos] O guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná vira maranhense [risos]. Guaraná cor-de-rosa no Maranhão... Que boiolagem isso aqui", disse Bolsonaro.

 

O Guaraná Jesus é um refrigerante tradicional, tipicamente maranhense e um símbolo do estado. A fala de Bolsonaro foi transmitida em uma "live", por volta de 12h, em uma rede social do presidente. Bolsonaro repetiu a brincadeira mais de uma vez.

Nas imagens, que repercutiram nas redes sociais, o presidente aparece ao lado de apoiadores e não usa máscara. O item é obrigatório por decreto estadual desde maio.

No ano passado, o Supremo Tribunal Federal decidiu que a homofobia e a transfobia podem ser enquadradas no crime de racismo.

O governador Flávio Dino disse que vai processar o presidente. Numa rede social ele declarou:

 

"Bolsonaro veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro e fez piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas empresariais."

 

Os deputados do Maranhão Rubens Pereira Junior e Márcio Jerry, ambos do PCdoB, e Bira do Pindaré (PSB) ressaltaram o desrespeito aos maranhenses e repudiaram a postura homofóbica do presidente.

Parlamentares de outros estados também criticaram a declaração de Bolsonaro.

O senador Humberto Costa (PT-PE) disse que o presidente disparou ódio contra gays, nordestinos e maranhenses como se fosse uma brincadeira.

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que Bolsonaro foi ao Maranhão para espalhar homofobia. O partido disse que também vai processar o presidente.

O PDT no Senado ressaltou que a piada tem teor preconceituoso.

Bolsonaro visitou o Maranhão para participar da entrega de obras do governo federal, dentre as quais um trecho da rodovia BR-135, em Bacabeira, e do "panelodrómo", um complexo gastronômico de culinária popular em Imperatriz, segunda maior cidade do estado.

 

Desculpas

 

À noite, já em Brasília, durante transmissão ao vivo em uma rede social, Bolsonaro pediu desculpas, disse que fez "uma brincadeira", e que o comentário não era "para a televisão".

"Se alguém se ofendeu, me desculpa, eu fiz uma brincadeira com a cor do guaraná Jesus, que é cor-de-rosa. E a brincadeira que eu fiz não foi para a televisão, eu estava falando com um cara lá. Falei uns troços, e divulgaram como se eu estivesse ofendendo o pessoal do Maranhão. A maldade está aí", declarou.

Por G1

pedofilia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Prefeitura de Campo Grande fecha contrato de R$ 3 milhões para uniformes escolares
Brasíl
Pix tem quase 4,4 milhões de portabilidade de chaves
Crime Organizado
PF combate, no Rio, furtos de encomendas nos Correios
Internacional
Hong Kong fechará bares e clubes noturnos pela 3ª vez devido a novos casos de Covid-19
China
China anuncia erradicação da extrema pobreza nos últimos condados pobres
Russia
De olho em mercados externos, Rússia diz que sua vacina contra Covid-19 custará menos de U$20
Campo Grande
Corrupção no Detran-MS leva PF a escritório que liga filho de Reinaldo à ‘gerência’ de propina na Vostok
Campo Grande
Covid-19 causou 741 mortes e há mais de 1,1 mil pessoas isoladas em casa
Sertanejo
Morre Francisco Camargo, pai de Zezé de Camargo e Luciano.
Campo Grande
Comerciantes e consumidores reclamam de multas, sujeira e falta de estacionamento na 14 de julho na capital.