Menu
Busca Sáb, 06 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
FLÁVIO BOLSONARO

Mãe de suspeito de ligação com milícias foi assessora de Flávio Bolsonaro

Raimunda Magalhães é citada em relatório do caso Queiroz; senador eleito diz desconhecer atos e acusa campanha difamatória

22 janeiro 2019 - 11h29

O ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega é um dos alvos da operação realizada na manhã desta terça-feira 22 para prender suspeitos de envolvimento com a milícia que atua nos bairros de Rio das Pedras e Muzema, na Zona Norte do Rio.

Magalhães, que foi expulso da Polícia Militar em 2014 por ter feito segurança pessoal para José Luiz de Barros Lopes, o Zé Personal, da máfia dos caça-níqueis, tem pelo menos duas conexões com o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro.

Em 2005, ele foi homenageado com a Medalha Tiradentes, da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, depois de um projeto de lei de Flávio Bolsonaro. Além disso, a mãe dele, Raimunda Veras Magalhães, foi citada no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) como uma das funcionárias do senador eleito que fez repasses a Fabrício Queiroz, ex-assessor investigado por movimentações de 7 milhões de reais ao longo de um período de três anos.

Raimunda aparece na última folha de pagamento da Alerj, a de novembro, com um salário bruto de 4.326,70 reais. Em nota, Flávio Bolsonaro diz que ela foi contratada por indicação de Queiroz, que era responsável por supervisioná-la. “Não posso ser responsabilizado por atos que desconheço, só agora revelados com informações desse órgão”. Na visão do senador eleito, ele “continua a ser vítima de uma campanha difamatória com o objetivo de atingir o governo de Jair Bolsonaro”

“Quanto ao parentesco constatado da funcionária, que é mãe de um foragido, já condenado pela Justiça, reafirmo que é mais uma ilação irresponsável daqueles que pretendem me difamar”, segue o senador eleito. Flávio Bolsonaro diz que a concessão da medalha Tiradentes a Adriano é uma de “centenas” que concedeu a militares. “Aqueles que cometem erros devem responder por seus atos”.

 

veja

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mortes por Coronavirus no Brasil
Brasil virou referência de bagunça de politicos, vírus, infeção, falta de estrutura e mortes.
Vacinação
Politicagem e desordem
Economia
Empresas do setor de turismo do MS já podem acessar as linhas de crédito do Fungetur
Campo Grande
Alerta em Campo Grande
Covid 19 em MS
Governo de MS culpa prefeitos por avanço do coronavírus e diz que decisão de lockdown cabe a municípios
Ao contrário de outros Estados, MS decretou apenas toque de recolher às 23h
Campo Grande
Moradores se revoltam contra Trad por sujeira e mato nos bairros da capital
Gestão Pública
Governo inicia mais uma etapa para tornar gestão mais eficiente e qualificar serviços
Esporte
Bolsa Atleta e Bolsa Técnico seguem com inscrições abertas até 12 de março
Digital
Detran Digital: Em um ano, número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%
Evangélicos
Baixaria na igreja