Menu
Busca Seg, 20 de janeiro de 2020
(67) 9.9928-2002
MAGNETISMO

Mesmo condenado e preso, Lula segue com poder de mobilizar políticos

Por Carol Assis
A condenação a mais de 12 anos de prisão e o início do cumprimento da pena, a partir de sábado, não tiraram o poder do ex-presidente Lula de mobilizar políticos em seu entorno. Pelo contrário. Analistas caracterizam o petista como a vitrine perfeita tanto para opositores, como Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e João Doria (PSDB-SP), quanto para apoiadores.

Na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP), ele teve ao lado dois dos aspirantes a líderes da esquerda, os presidenciáveis Guilherme Boulos (PSOL-SP) e Manuela D'ávila (PCdoB-RS). Em Curitiba, onde cumpre pena, Lula espera poder receber a visita de diversos governadores do Nordeste, além do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e do presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE).

"Esse fluxo de políticos mostra que o lulismo, que poderia estar sofrendo um baque, está renascendo", analisou ao jornal Folha de S. Paulo o cientista político Marcus Vinicius Macedo Pessanha. "Tem que ver se isso vai se reverter em apoio popular. Essa romaria nos traz, hoje, mais dúvidas que respostas. Ele continua sendo uma pessoa que agrega eleitores ou que só irá falar com quem já é a favor dele? O quadro político está muito nebuloso", complementa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Rio Brilhante
Homem esfaqueia criança e leva 6 facadas da irmã
Interior
Corrupção permitiu fuga de integrantes de PCC
Campo Grande
Trad quer aumentar para R$4,10 tarifa de ônibus
Educação
Estudantes podem se increver no Sisu a partir desta terça-feira
Campo Grande
Trad se omite em fazer manutenção nas praças publicas
Campo Grande
Sujeira tradicional em Campo Grande
Evangélicos Bolsonaro
Pastor evangélico é um dos agressores de manifestantes que protestavam contra Damares em São Carlos (SP)
São Gabriel do Oeste
Marido mata adolescente mãe de bebê
Dourados
Peladão correndo pela Presidente Vargas
Fronteira
A fuga se deu na madrugada de domingo através de buraco feito pelos membros do PCC