Menu
Busca Sáb, 06 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
Política

'Não sei o que as pessoas fazem fora do meu gabinete', diz Flávio

Senador eleito falou sobre as suspeitas envolvendo seu ex-assessor Fabrício Queiroz

11 janeiro 2019 - 09h00

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou, em entrevista ao SBT Brasil, que não tem conhecimento sobre o que os funcionários de seu gabinete fazem da porta para fora.

Ele falou à emissora sobre a investigação que apura movimentações financeiras atípicas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

"Não estou fazendo defesa do meu assessor, acho que ele tem que ir ao Ministério Público esclarecer o quanto antes", disse.

Flávio não compareceu nesta quinta-feira (10) ao órgão para prestar depoimento na investigação.

Ele afirmou ao jornal que ainda tomará ciência dos fatos e levará ao Ministério Público qualquer documento necessário.

"Esclarecer e ficar longe dessa coisa que eu não tenho nada a ver com isso. Eu vou lá sepultar qualquer dúvida que tenham sobre a minha pessoa."

Relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) identificou que Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

Com prerrogativa parlamentar, o filho de Jair Bolsonaro não estava obrigado a comparecer ao órgão nesta quinta.

Nas redes sociais, ele se comprometeu a agendar novo dia e horário para prestar esclarecimentos. Testemunha no caso, defendeu que não é investigado.

O senador eleito também disse que ainda não teve acesso aos autos e que só foi notificado do convite do órgão na segunda-feira (7). Ele pediu cópia integral da investigação.

Na terça (8), familiares de Queiroz também faltaram a oitiva no Ministério Público. Suas filhas, Nathalia e Evelyn, e a mulher, Marcia Aguiar, alegaram que estão em São Paulo acompanhando o ex-assessor em tratamento de um câncer intestinal.

Em petição, a defesa de Queiroz informou ao órgão que ele estava internado no Hospital Albert Einstein. Ele teve alta na própria terça, após dar entrada no dia 30 de dezembro e passar por cirurgia no dia 1°. Segundo seu advogado, Paulo Klein, a internação foi custeada pelo ex-assessor, que apresentará os recibos.

A defesa pediu que os depoimentos sejam marcados para o fim do tratamento, sem previsão de data. Queiroz já faltou a dois encontros com o Ministério Público em função da saúde. Com informações da Folhapress.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mortes por Coronavirus no Brasil
Brasil virou referência de bagunça de politicos, vírus, infeção, falta de estrutura e mortes.
Vacinação
Politicagem e desordem
Economia
Empresas do setor de turismo do MS já podem acessar as linhas de crédito do Fungetur
Campo Grande
Alerta em Campo Grande
Covid 19 em MS
Governo de MS culpa prefeitos por avanço do coronavírus e diz que decisão de lockdown cabe a municípios
Ao contrário de outros Estados, MS decretou apenas toque de recolher às 23h
Campo Grande
Moradores se revoltam contra Trad por sujeira e mato nos bairros da capital
Gestão Pública
Governo inicia mais uma etapa para tornar gestão mais eficiente e qualificar serviços
Esporte
Bolsa Atleta e Bolsa Técnico seguem com inscrições abertas até 12 de março
Digital
Detran Digital: Em um ano, número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%
Evangélicos
Baixaria na igreja