Menu
Busca Dom, 01 de agosto de 2021
(67) 9.9928-2002
POLÍTICA

Parlamentares criticam ‘indústria da multa’ e até ex-diretor do Detran-MS faz coro

Disseram que cidadão de bem não deve arcar com multas desnecessárias

08 fevereiro 2019 - 10h55

Discussão longa, a ‘indústria da multa’ de trânsito entrou na pauta da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). Durante a sessão desta quinta-feira (7), deputados criticaram o alto número de multas emitidas por radares móveis, fixos e lombadas e lamentaram que “o cidadão de bem arque com multas sem necessidade'.

O assunto foi unânime entre os deputados e até o ex-diretor-presidente do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito), Gerson Claro (PP), teve de fazer coro ao tema levantado pelo colega João Henrique Catan (PR).

Citando dados do MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Catan argumentou que durante o período em que os radares estiveram desligados em Campo Grande, o número de mortes no trânsito reduziu 22%.

“Ou seja, o radar é para instruir e educar, mas sem o radar diminuíram? É preciso rever, pois o cidadão de bem não pode ficar arcando com multas sem necessidade', questionou. Gerson criticou a imprudência dos condutores, mas viu nos radares móveis ‘escondidos’ um problema.

“É fato que para se colocar um radar é preciso de um estudo sobre os acidentes do local, mas é claro que, se os radares móveis são colocados só para arrecadar, serão rechaçados', confirmou.

Cabo Almi (PT) defendeu que se o número de mortes caiu depois da desativação dos equipamentos, a Casa de Leis deve se posicionar contra. “A intenção deve ser preservar a vida e não arrecadar'. “Tem um ali na avenida Mato Grosso em baixo de uma árvore. Quase uma arapuca', completou Rinaldo Modesto (PSDB).

Além da fiscalização, Zé Teixeira (DEM) acredita que a educação no trânsito deve ser incentivada nas escolas. “Não adianta só multar. Tem que ensinar nas escolas a educação no trânsito. Só assim vai mudar. A criança precisa saber desde cedo que pode ceifar a vida de um inocente por uma irresponsabilidade', ponderou.

Campo Grande se destaca em "indústria da multa" com a gestão Trad. Quando foi prefeito  Alcides Bernal  mandou desativar os aparelhos da indústria, que voltaram com o atual prefeito.

 

fonte:msnews

vacina sim

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana