Menu
Busca Qui, 23 de maio de 2019
(67) 9.9928-2002
BLOG O JACARÉ

Nelsinho Trad e Soraia são contraditórios demais, políticos velhos.

17 maio 2019 - 08h00

Os senadores Nelsinho Trad (PSD) e Soraya Thronicke (PSL) não quiseram dar o exemplo de aderir ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e optaram pelo privilégio de ter aposentadoria especial, que pode lhes garantir benefício de R$ 33.763 por mês. Caso seguissem o exemplo da maior parte dos deputados federais sul-mato-grossenses, eles só teriam direito a receber, no máximo, 5.839,45.

Simone Tebet (MDB) é a única senadora do Estado que não aderiu ao Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC). De acordo com o jornal Gazeta do Povo, do Paraná, dos 81 senadores, 41 optaram pela previdência especial e poderão receber valor acima do teto, um benefício tirado dos brasileiros “normais”.

Ao optar pelo plano especial, os senadores pagam 11% sobre o salário de R$ 33.763 e serão os últimos a ter a opção a este benefício. A reforma da previdência proposta por Jair Bolsonaro (PSL) acaba com o privilégio para os parlamentares que serão eleitos a partir de 2022.

Como terão direito a receber aposentadoria de R$ 964,65, por cada ano contribuído, Nelsinho e Soraya terão direito a receber aposentadoria de R$ 7.717,20 por mês caso só exerçam um mandato de senador. Isso significa que, caso não sejam reeleito, já receberão aposentadoria 32% acima do valor máximo pago aos demais brasileiros.

Ao jornal paranaense, Soraya Thronicke rechaçou o termo “aposentadoria especial” para senadores. “Os parlamentares contribuem com a previdência no período em que estão trabalhando para o País, e, por isso fazem jus à previdência, com regras até mais rígidas que outros regimes, uma vez que não há distinção entre homens e mulheres”, justificou-se a parlamentar.

Por meio da assessoria, Nelsinho Trad disse que “fez a opção” e “assim como todos os brasileiros, poderá se aposentar somente após cumprir os 35 anos de contribuição”.

Só que a maioria dos brasileiros não deverá receber o valor integral. Pela Reforma da Previdência, que será votada pelos três senadores, os trabalhadores só poderão receber salário integral se tiver a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 para homens e contribuir por 40 anos.

Contudo, mesmo que contribua por 45 anos, o trabalhador nunca terá o mesmo benefício de Nelsinho e Soraya, porque o valor máximo a ser pago pelo INSS é de R$ 5.839,45.

A proposta de Bolsonaro prevê outras medidas até maldosas, como a redução do valor do benefício pago a idosos, doentes e deficientes pobres, de R$ 998 (um salário mínimo) para R$ 400. O abono do PIS só será pago aos trabalhadores que ganham um salário mínimo. Atualmente, o Governo paga um mínimo para quem até dois salários.

Os parlamentares também podem aprovar o fim da aposentadoria especial para professores e tornar as regras mais duras para os trabalhadores rurais.


Dos três senadores de MS, Simone seria a única que não aderiu ao plano especial (Foto: Arquivo)

Para minimijar o impacto da reforma na opinião pública, dos oito deputados federais, cinco rejeitaram o privilégio e aderiram ao regime.

Fábio Trad (PSD) aderiu ao PSSC, conforme a Gazeta do Povo. No entanto, conforme a assessoria, o deputado recuou e protocolou o pedido desistindo da aposentadoria especial, mas também nem precisa com tamanha força financeiro-politica.

Vander Loubet (PT) é o único que continua firme no plano especial. Bia Cavassa (PSDB) foi procurada por semanas, mas não se manifestou, mas certamente se penderou no cabide.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERIOR
Nova Estação de Tratamento de Esgoto em Dourados deve entrar em pré-operação em junho
AMIZADE FORTE
Para celebrar 30 anos de amizade, idosas fazem tatuagem de ‘copo de cerveja’
FAMOSOS!
Padre Fábio de Melo sofre mal súbito, é levado às pressas para hospital e momento é exposto em vídeo
EXPLORAÇÃO INFANTIL
Crianças em desfile para serem adotadas: o que pode acontecer com elas?
PM tentou atrapalhar investigações sobre o assassinato de Marielle, aponta relatório da PF
INTERIOR
Caçamba que saiu de São Paulo e seguia para Vicentina pega fogo na MS-395 e chamas se espalham pela vegetação
INTERIOR
Casal é investigado por golpes contra idosos que somam mais de R$ 500 mil em Itaquiraí
SAÚDE
Em apenas cinco meses de 2019, dengue já matou em MS quatro vezes mais do que em todo 2018
CAPITAL
Polícia faz nova busca em local onde motorista de aplicativo foi morto: 'Foi um crime passional, agressivo e cruel'
CAPITAL
Cápsulas deflagradas são encontradas em bueiro de avenida de Campo Grande