Menu
Busca Ter, 17 de setembro de 2019
(67) 9.9928-2002
conciliação

Réu por usar avião oficial, De Paula quer acordo com MP e Governo

10 abril 2018 - 17h22Por Redação Notícias VIP
Menos de um mês depois da Justiça aceitar denúncia do MPE-MS (Ministério Público Estadual) contra o ex-chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Sergio de Paula, e transformá-lo em réu, a defesa do político apresentou contestação, nesta terça-feira (10). Os advogados querem audiência de conciliação sobre o caso que envolve uso de avião oficial e propõem até que De Paula devolva o valor apurado como prejuízo aos cofres públicos, além de multa.

Na contestação assinada pelos advogados Ary Raghiant Neto e Lúcia Maria Torres Farias, consta que Sérgio de Paula procurou a 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, na última quinta-feira (5). De Paula se propôs a assinar TAC (Termo de Ajuste de Conduta) para acabar com a ação civil pública.

A defesa pede à Justiça que audiência de conciliação seja marcada, com presença do MPE, da PGE (Procuradoria-Geral do Estado) e também do Governo do Estado. A tentativa da defesa é que o TAC regulamente as hipóteses em que aviões oficiais podem ser usados por servidores públicos.

?É possível o ajustamento de condutas mesmo tendo sido ajuizada a ação civil pública?, argumenta a defesa. Os advogados insistem na tese de que De Paula utilizou o Bandeirante Embraer 110 do Governo para ir duas vezes ao interior de São Paulo, em junho de 2016, para participar de velório e missa de 7º dia de um parente, e que a situação foi ?excepcional e imprevisível?.

O ex-chefe da Casa Civil pede ao Judiciário, além da audiência de conciliação, que os pedidos do MP para condenação por crime de improbidade administrativa sejam considerados improcedentes.

Caso a ação tenha seguimento mesmo com a conciliação, os advogados propõem que De Paula restitua os cofres públicos no valor de R$ 7 mil, mais multa.

Os pedidos serão analisados pelo juiz Marcel Henry Batista de Arruda, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. Não há prazo para resposta da contestação.

A denúncia

Conforme a denúncia do promotor Humberto Lapa Ferri ajuizada em outubro do ano passado, De Paula usou avião do Estado para duas viagens pessoais até a cidade de Andradina (SP), em junho de 2016.

Quando iniciou a investigação, em junho de 2017, o promotor da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital requisitou o diário de bordo da aeronave Bandeirante Embraer 110.

Conforme o documento, De Paula e parentes voaram para o interior paulista nos dias 14 e 22 de junho de 2016. Eles participaram do sepultamento e depois da missa de 7º dia de um parente. No entanto, a liberação da aeronave se deu em razão do então secretário afirmar que cumpriria agenda oficial em Andradina.
Em depoimento ao promotor Humberto, Sérgio confirmou o uso do avião oficial para o compromisso particular. ?Portanto, inequívoco que o requerido Sérgio de Paula, enquanto secretário de Estado da Casa Civil, praticou condutas vedadas pela Lei de Improbidade Administrativa e, na hipótese, deve ser responsabilizado?, afirma a denúncia.

O promotor pede que o ex-secretário pague multa de R$ 32,6 mil, que corresponde ao valor das viagens multiplicado, que tenha os direitos políticos suspensos pelo período de 3 a 5 anos e que fique impedido de contratar com o Governo pelo prazo de 3 anos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fenômeno raro
Lua vista de MS fica vermelha por conta de incêndios e poeira, diz especialista em meteorologia
Pediu a mão
Luan Santana faz surpresa e pede namorada em casamento durante voo de balão
Polêmica carioca
Alerj aprova lei que exige prova no Detran para usuários de patinetes elétricos
Pensando no próximo
Dono de ferro velho recupera cadeiras de rodas enferrujadas e doa para deficientes carentes
Cemitério de fetos foi descoberto
Mais de 2 mil fetos humanos são encontrados em casa de médico que fazia abortos nos EUA
Operação
Operação prende vereadores e secretários em Araguapaz
Capital
Rapaz que agrediu outro em Campo Grande por ter urinado no carro dele vai a júri popular nesta terça-feira
Campo Grande
Vereadores proíbem fotos e vídeos nas unidades de saúde em CG
Polêmica
"Temer cometeu novo ato de sincericídio no Roda Viva", diz Dilma Rousseff
Covardia
Idosa é esquecida e fica trancada em posto de saúde em Minas Gerais