Menu
Busca Qui, 21 de novembro de 2019
(67) 9.9928-2002
conciliação

Réu por usar avião oficial, De Paula quer acordo com MP e Governo

10 abril 2018 - 17h22Por Redação Notícias VIP
Menos de um mês depois da Justiça aceitar denúncia do MPE-MS (Ministério Público Estadual) contra o ex-chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Sergio de Paula, e transformá-lo em réu, a defesa do político apresentou contestação, nesta terça-feira (10). Os advogados querem audiência de conciliação sobre o caso que envolve uso de avião oficial e propõem até que De Paula devolva o valor apurado como prejuízo aos cofres públicos, além de multa.

Na contestação assinada pelos advogados Ary Raghiant Neto e Lúcia Maria Torres Farias, consta que Sérgio de Paula procurou a 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital, na última quinta-feira (5). De Paula se propôs a assinar TAC (Termo de Ajuste de Conduta) para acabar com a ação civil pública.

A defesa pede à Justiça que audiência de conciliação seja marcada, com presença do MPE, da PGE (Procuradoria-Geral do Estado) e também do Governo do Estado. A tentativa da defesa é que o TAC regulamente as hipóteses em que aviões oficiais podem ser usados por servidores públicos.

?É possível o ajustamento de condutas mesmo tendo sido ajuizada a ação civil pública?, argumenta a defesa. Os advogados insistem na tese de que De Paula utilizou o Bandeirante Embraer 110 do Governo para ir duas vezes ao interior de São Paulo, em junho de 2016, para participar de velório e missa de 7º dia de um parente, e que a situação foi ?excepcional e imprevisível?.

O ex-chefe da Casa Civil pede ao Judiciário, além da audiência de conciliação, que os pedidos do MP para condenação por crime de improbidade administrativa sejam considerados improcedentes.

Caso a ação tenha seguimento mesmo com a conciliação, os advogados propõem que De Paula restitua os cofres públicos no valor de R$ 7 mil, mais multa.

Os pedidos serão analisados pelo juiz Marcel Henry Batista de Arruda, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. Não há prazo para resposta da contestação.

A denúncia

Conforme a denúncia do promotor Humberto Lapa Ferri ajuizada em outubro do ano passado, De Paula usou avião do Estado para duas viagens pessoais até a cidade de Andradina (SP), em junho de 2016.

Quando iniciou a investigação, em junho de 2017, o promotor da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital requisitou o diário de bordo da aeronave Bandeirante Embraer 110.

Conforme o documento, De Paula e parentes voaram para o interior paulista nos dias 14 e 22 de junho de 2016. Eles participaram do sepultamento e depois da missa de 7º dia de um parente. No entanto, a liberação da aeronave se deu em razão do então secretário afirmar que cumpriria agenda oficial em Andradina.
Em depoimento ao promotor Humberto, Sérgio confirmou o uso do avião oficial para o compromisso particular. ?Portanto, inequívoco que o requerido Sérgio de Paula, enquanto secretário de Estado da Casa Civil, praticou condutas vedadas pela Lei de Improbidade Administrativa e, na hipótese, deve ser responsabilizado?, afirma a denúncia.

O promotor pede que o ex-secretário pague multa de R$ 32,6 mil, que corresponde ao valor das viagens multiplicado, que tenha os direitos políticos suspensos pelo período de 3 a 5 anos e que fique impedido de contratar com o Governo pelo prazo de 3 anos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Terenos
Vereador acusa colegas de receber propina
Campo Grande
Estão fechando delegacia de polícia na capital
Campo Grande
Trad não retira sujeira das ruas da capital
Famosos
Zezé está hospitalizado
Campo Grande
Apesar dos protestos, Trad sufoucou CPI, que nem foi ventilada na Câmara municipal
Energisa
A falta da cara energia de todos os dias
Brasil
Caminhoneiros podem fazer greve
Porto Murtinho
Barragem está desmoronando desde 28 de outubro e não fazem nada
Bolívia
Traidor, general que deu voz de prisão a Evo vai para USA
Judiciário
Quando o judiciário é usado por supostos bandidos