Menu
Busca Sex, 17 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Política

Vídeo de reunião ministerial tem Weintraub chamando Brasília de “porcaria” que precisa acabar

21 maio 2020 - 10h03Por Plantão jornalístico

A reunião ministerial de 22 de abril em que o presidente Jair Bolsonaro teria tratado de interferência na Polícia Federal (PF) ainda vai despertar muitas controvérsias e criar saias-justas. Sobrou até para Brasília.

Para o polêmico ministro da Educação, Abraham Weintraub, que costuma utilizar palavrões em ambientes fechados e palacianos, Brasília é uma “porcaria” que precisa acabar. Ele disse ainda que a capital é um “cancro”.

Quem esteve presente e quem viu o vídeo relata que o presidente Jair Bolsonaro concordou com os ataques de Weitraub à capital da República. Na reunião ministerial, cuja gravação está nas mãos do ministro Celso de Mello, ainda houve insultos à capital do Brasil, tais como os salários do funcionalismo público e, em especial, dos integrantes do Judiciário.

Bastidores

Ao tomar conhecimento das declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, o governador Ibaneis Rocha comentou: “Não ouvi, mas certamente não deve ser com a cidade e sua população, deve ser com o que acontece nos bastidores da política”.

 

Correio Braziliense

Deixe seu Comentário

Leia Também

Rio de Janeiro
Apoiadores de Bolsonaro fazem ato em Copacabana, no Rio de Janeiro
São Paulo
Manifestantes fazem ato na Av. Paulista a favor de Bolsonaro
Brasília
PM informa que restabeleceu bloqueio na Esplanada dos Ministérios
Tribunal de Justiça
Fux manda retirar bandeira do Brasil Império hasteada na sede do TJ de Mato Grosso do Sul
Brasília
Esplanada terá esquema especial de segurança para protestos deste feriado
Brasíl
7/9: Moraes bloqueia contas de acusados de organizar atos antidemocráticos
MS já vacinou 50% dos jovens de 12 a 17 anos contra covid com a 1° dose – Feriado
MS
Secretaria de Estado de Saúde confirma três casos da variante Delta em Mato Grosso do Sul
STF
Urgente: Moraes determina prisão de ex-PM que o ameaçou de morte
Meio Ambiente
Ganhou prazo para resolver o problema, sob pena de multa e improbidade do prefeito