Menu
Busca Qua, 22 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Mundo

Após liberdade provisória, Irã concede perdão a 10 mil prisioneiros

19 março 2020 - 10h00Por Plantão de Notícias
 
Bandeira do Irã

© Reuters/Leonhard Foeger/Direitos Reservados

O líder supremo do Irã vai perdoar 10 mil prisioneiros, incluindo presos políticos, para marcar o novo ano iraniano, que será celebrado nesta sexta-feira (20). O Irã é, a essa altura, um dos países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus, tendo registrado pelo menos 17 mil casos confirmados e mais de 1.100 mortes.

“Um grande número de prisioneiros que foi libertado temporariamente não tem de voltar para a prisão, após o perdão do líder”, garantiu Gholamhossein Esmaili, um porta-voz judicial em declarações à televisão estatal.

Esmaili esclareceu que esse perdão, por ocasião do Noruz – o ano novo iraniano - também inclui detidos por questões de segurança, ou seja, prisioneiros políticos, que tenham pena inferior a cinco anos de prisão.

Na terça-feira (17), o porta-voz anunciou que as autoridades iranianas tinham libertado 85 mil prisioneiros, incluindo presos políticos, como resposta à pandemia de Covid-19, evitando dessa forma que as prisões sobrelotadas se transformem em local de contágio.

O porta-voz não esclareceu se o perdão vai incluir Nazanin Zaghari-Ratcliffe, uma britânica-iraniana que foi para o país como trabalhadora humanitária e que foi condenada a cinco anos de prisão em 2016, por espionagem. Zaghari-Ratcliffe foi uma das prisioneiras políticas libertadas na terça-feira.

O surto de coronavírus no país tem levado as Nações Unidas e, em particular, os Estados Unidos, a apelarem à libertação de dezenas de cidadãos com dupla nacionalidade e estrangeiros.

De acordo com as autoridades iranianas, existiam em janeiro cerca de 185.500 de detidos nas prisões do país. Acredita-se que algumas centenas tenham sido detidas durante os grandes protestos antigovernamentais que ocorreram no Irã em novembro de 2019.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.
CPI no Senado Federal
A diferença de pensamento entre os Ministros do STF, Carmen, Nunes Marques e Rosa Weber.
Ministros divergem sobre obrigação de convocados à CPI da Covid
Justiça
Cármen Lúcia determina que CPI da Covid mantenha sigilo sobre dados de Ricardo Barros
Apenas o presidente da comissão, senador Omar Aziz, pode ter acesso aos dados do líder do governo na Câmara. Outros senadores membros da comissão terão acesso via requerimento
Policia Federal
Inquérito apura fraude na venda de medicamentos para o Ministério da Saúde entre 2016 e 2018; agentes também cumprem mandados na Precisa e na Global
PF investiga gestão Ricardo Barros e faz buscas em endereços de Max e secretário ligado a Ciro Nogueira
Paraná
PF desarticula quadrilha especializada em defensivos agrícolas ilegais
ONU
Presidente faz discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas
Abertura do evento é feita tradicionalmente pelo presidente do Brasil
Brasília
Senador quer convocar filho de Bolsonaro após provocação à CPI
Mato Grosso do Sul
Inverno se despede com temperaturas acima dos 40°C e umidade do ar em níveis críticos
Política
Transferência de pagamento de perícias médicas aos segurados do INSS é criticada em debare do Senado Federal.
Política
Deputados cassados por corrupção recebem aposentadoria de até R$ 23,3 mil pela Câmara