Menu
Busca Sáb, 25 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Campo Grande

Na linha de frente, socorrista do Samu morre com coronavírus em Campo Grande

10 novembro 2020 - 16h00Por NV repórter de plantão

“Nosso amigo, poderia ficar em casa, por ser do grupo de risco, mas não pode […] vi ele e a esposa várias vezes com todos os Epis necessário para atendimentos de pacientes mas mesmo assim foram contaminados, ainda assim tem pessoas que levam na brincadeira esse vírus terrível”, postou um amigo de mais uma vítima fatal do novo Coronavirus em Campo Grande, MS.

O socorrista do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Gerci Alves da Silva, 57 anos, morreu vítima da Covid-19, doença causada pelo coronavírus, em Campo Grande.

Ele era motorista de ambulância e estava atuando na linha de frente no combate à doença. Após contrair o vírus, ficou internado por mais de duas semanas até falecer na noite de segunda-feira (9). Ele estava no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul).

Haverá cortejo em homenagem ao profissional a partir das 13h, saindo da Funerária Pax Real, na Avenida Bandeirantes). Então, seguirá em direção ao cemitério Memorial Park, no Bairro Universitário. O sepultamento será às 14h30.

 

 

Crédito da matéria ao Midiamax

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Croquete de mandioca com carne: petisco saboroso e prático
Politicos
Vai vendo Brasil!
Religiosos
Padre é preso por desviar dinheiro da igreja para orgias gays e drogas
Brasil e Mundo
Covid-19: Brasil registra 19,4 mil casos e 699 mortes em 24h
Justiça
STF decide se os estados devem pagar hospitais pela tabela SUS
Geral
Anatel aprova leilão da exploração do acesso móvel na tecnologia 5G
Inclusão
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência
Campo Grande
Preso em ação contra corrupção em MS era o 'braço direito' do ex-prefeito e 'quem assinava os cheques', diz polícia
Operação Policial
Polícia Federal faz operação para combater fraude no INSS do Amazonas
Campo Grande
Ameaça de delação de Gilmar Olarte causa 'espanto', afirma procurador-chefe do MP