Menu
Busca Sex, 07 de maio de 2021
(67) 9.9928-2002
Saúde

Não há intenção de compra de vacina chinesa, diz secretário

Élcio Franco informou que governo não realizará compra do medicamento

21 outubro 2020 - 12h00Por Agência Brasil-EBC/Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde atualizou hoje (21) as informações sobre a vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan. O secretário executivo da pasta, Elcio Franco, realizou pronunciamento, transmitido pela TV Brasil, para prestar esclarecimentos sobre a carta de intenções para aquisição da vacina do Butantan-Sinovac/Covid-19.

 "Qualquer vacina, quando estiver disponível, certificada pela Anvisa, e adquirida pelo Ministério da Saúde, poderá ser oferecida aos brasileiros por meio do Programa Nacional de Imunizações, e no que depender desta pasta, não será obrigatória", informou o secretário executivo.

Segundo o secretário, não houve qualquer compromisso com o governo do estado de São Paulo no sentido de aquisição de vacina contra a covid-19. “Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante, por se tratar de um grande parceiro do Ministério da Saúde na produção de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações [PNI].

Franco esclareceu que é “mais uma inciativa para tentar proporcionar vacina segura e eficaz para a nossa população, neste caso como uma vacina brasileira” e se estiver disponível antes da vacina da AztraZeneca/Oxford ou da Covax. “Não há intenção de compra de vacinas chinesas”, ressaltou.

O secretário reforçou que qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Anvisa, pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) do Sistema Único de Saúde (SUS). Franco reafirmou que quando qualquer vacina estiver disponível, certificada pela Anvisa e adquirida pelo Ministério da Saúde, ela será oferecida aos brasileiros por meio do PNI e, “no que depender desta pasta, não será obrigatória”.

CoronaVac

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (21) que o governo federal não comprará a vacina CoronaVac. De acordo com ele, antes de ser disponibilizada para a população, a vacina deverá ser “comprovada cientificamente” pelo Ministério da Saúde e certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Judiciário
Ex-prefeito de Campo Grande é preso por condenação de corrupção e lavagem de dinheiro
Brasília
Senadores comemoram liminar do STF que obriga governo a realizar o censo
Brasíl
Publicada MP de flexibilização trabalhista para enfrentamento da crise
Polícia
Polícia Federal faz operação contra tráfico de drogas em cinco estados
Brasília
Aliada de Bolsonaro tem ligação com juiz que tentou tirar Renan da CPI da Covid
Esporte
Bahia goleia por 5 a 0 na Sul-Americana Tricolor de Aço vence o Guabirá, da Bolívia
Economia
Governo pagará R$ 418 milhões em salários no Dia do Trabalhador
Esporte
Libertadores: Santos é superado pelo Boca na Bombonera
Campo Grande
Há muita sujeira em Campo Grande, dizem moradores do Duque de Caxias
Esporte
Internacional se recupera na Libertadores com vitória sobre Táchira