Menu
Busca Sáb, 11 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Tecnologia

Uber demite mais 350 funcionários em momento de reestruturação

15 outubro 2019 - 11h30Por Olhar Digital

O momento da Uber não é dos melhores. A empresa segue perdendo rios de dinheiro a cada trimestre, com prejuízos recorrentes de mais de US$ 1 bilhão, e isso começa a ser sentido pelos funcionários. A companhia anunciou uma terceira leva de demissões em massa, dessa vez atingindo principalmente as equipes de Uber Eats e de desenvolvimento de tecnologia para veículos autônomos.

No total, são 350 funcionários que serão desligados da empresa, segundo o comunicado, que descreve o momento como “mudanças difíceis, mas necessárias”. Eles se juntam a outros 400 ligados ao marketing que haviam sido demitidos em julho e mais 435 demitidos em setembro, vinculados principal ao time de engenharia.

Segundo a Uber, os 350 empregados demitidos hoje formam 1% do total da força de trabalho da companhia globalmente. Já os 400 do marketing equivaliam a 33% do total do número de pessoas do setor no mundo inteiro, enquanto os 435 de engenharia respondiam por 8% do setor.

No último trimestre, a Uber registrou um prejuízo de US$ 5 bilhões, o maior de sua história, o que forçou a companhia a rever algumas coisas. É um fato que essa quantia tão alta está ligada aos custos da abertura de capital na bolsa de valores, sendo, por tanto, formada por custos não-recorrentes, mas ainda assim a quantia assusta. A preocupação do mercado é de que a Uber não consiga transformar sua grande base de usuários em lucro em algum momento futuro.

Em setembro, o CEO da Uber Dara Khosrowshahi havia afirmado que as demissões são resultado de uma reestruturação, fruto do amadurecimento como empresa, que deixa a fase de startup em expansão desenfreada, o que envolvia a contratação de pessoas em excesso, para tornar-se uma companhia estabelecida. No comunicado desta segunda-feira, ele reafirma isso. “Todos precisamos ter um papel para estabelecer um novo normal em como trabalhamos: identificar e eliminar trabalho duplicado, manter um alto padrão de desempenho, dar feedback direto e tomar ação quando expectativas não são alcançadas, e eliminar a burocracia que tende a se acumular conforme empresas crescem”, afirma Dara em comunicado. Segundo informações, Olhar Digital.

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasíl
Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 10 de julho, segundo consórcio de veículos de imprensa (atualização das 8h)
Campo Grande
Trad remaneja 70 milhões de reais com conivência dos vereadores
Saúde
ESPECIAL-Bolsonaro aposta em "cura milagrosa" para salvar o Brasil, e própria vida, da Covid-19
Política
Maia diz que é grave Bolsonaro tratar de hidroxicloroquina e que políticos não devem recomendar remédios
Política
Ministro pede investigação da PF com base na Lei de Segurança Naciona
Polícia
Força tarefa da federal cumpre ordens judiciais contra executivos das lojas Ricardo
Brasíl
Bolsonaro veta obrigação do governo em oferecer água, produtos de higiene e leitos a indígenas
Saúde
Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus
Saúde
Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para covid-19
Políciais Federais
Justiça nomeia peritos para conferir serviços de hospitais de campanha